O Centro Histórico de Tallinn

107 Flares 107 Flares ×

TallinnHá poucos dias eu estava lendo um texto com algumas dicas para blogueiros de viagem escreverem posts mais interessantes. Uma delas recomendava que evitássemos o excesso de adjetivos, pois isoladamente eles não acrescentam muita informação de qualidade ao texto e não transmitem a essência de um lugar. O autor que me perdoe, mas há destinos que são puro adjetivo! Seria impossível falar de Tallinn sem mencionar o quanto a cidade é linda, aconchegante, charmosa,  apaixonante, sem dizer que seu centro histórico é um verdadeiro museu a céu aberto… Ops! Mas aí eu já estou cometendo outro erro grave: o dos clichês! Melhor ir direto ao ponto para eu tentar me conter!

O centro histórico de Tallinn, chamado Vanalinn, abriga a mais bem preservada cidade medieval da Europa e, dizem, também a mais bonita. Felizmente os séculos de dominação e conflitos não foram suficientes para destruir Vanalinn, que começou a ser restaurada no final dos anos 80 e hoje encontra-se em condições impecáveis. Diariamente milhares de turistas invadem suas ruas, em um bate e volta desde Helsinque ( que fica a apenas 80 km de distância – 2 horas de navio) ou em escalas de cruzeiros. Surpreendentemente, foi em Tallinn que vimos a maior quantidade de brasileiros nessa viagem!

Rua lotada em Tallinn

A maior parte dos turistas passa apenas o dia na cidade, então pela manhã ou à noite – que no verão demorar a surgir – as ruas nem parecem as mesmas. São essas as melhores horas para passear com calma.

Reserve agora seu hotel em Tallinn e garanta os melhores preços!

Tallinn dispensa roteiros e mapas. O legal é sair andando sem rumo, se perdendo pelos becos e ruelas, sem tentar identificar cada uma das atrações. Até porque as maiores atrações não são grandes prédios ou monumentos, mas o conjunto harmonioso e cheio de detalhes que se espalha pelo compacto centro histórico.

Para começar, basta transpor um dos portões que dão acesso à cidade antiga. Um deles é o Grande Portão Costeiro, que dá saída para o porto e é grudado na Margarida Gorda, uma torre com paredes de até 4 metros de espessura (cujo nome eu não sei de onde surgiu!).

Great Coast Gate e Fat Margaret

Grande PortãoGrande Portão

Ali ao lado, ainda fora de Vanalinn, há um obra de arte em homenagem às 852 vítimas do naufrágio do M/S Estônia, que ia de Tallinn para Estocolmo quando afundou nas águas do Mar Báltico. O acidente ocorreu em 28 de setembro de 1994 e foi o maior desastre marítimo da Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

Broken Line

Mas voltemos à parte boa! Após cruzar o portão, encontramos o que procuramos: uma sequência de casinhas vindas diretamente do século XIV, dispostas em ruas estreitas e irregulares com calçamento de pedra e que parecem ter sido pouco modificadas ao longo do tempo.  Perca-se nessas ruas! Qualquer caminho te levará a um cantinho interessante!

Tallinn

TallinnTallinnTallinn

TallinnTallinnTallinn

E não importa o roteiro traçado, em algum momento se chega à Raekoja plats, o principal ponto de encontro de Tallinn desde que surgiram seus primeiros mercados, há quase mil anos! É lá que fica a farmácia mais antiga da cidade, em funcionamento desde 1422. E também o prédio da Prefeitura, construído entre 1371 e 1404 em estilo gótico. Hoje ao redor da praça há diversos cafés, com preços dignos de uma praça principal de uma cidade turística, é claro.

Raekoja plats

Prefeitura de Tallinn

Nas proximidades da praça fica a Vene, uma avenida repleta de restaurantes. Ligando a Vene à Müürivahe há uma pequena passagem chamada Katariina Kaik, hoje um reduto de artesãos. No pequeno espaço há uma sequência de lojinhas de artesanato, ótimas para comprar souvenir. Pode entrar e olhar sem medo!

Katariina Kaik

Katariina KaikKatariina Kaik

Antigamente, Tallinn, como toda cidade medieval que se preze, era cercada por uma muralha. Algumas torres ainda estão de pé e contornar a cidade antiga ao lado de seu antigo muro de defesa é um passeio bem legal. Algumas podem ser visitadas por dentro e é possível caminhar por plataformas que conectam algumas delas, mas nós as vimos apenas por fora mesmo.

Uma pequena subida pela Pikk jalg, uma das ruas mais charmosas de Tallin, nos leva a Toompea, a parte alta da cidade antiga. Toompea está localizada em um morro que, segundo a lenda, é o túmulo de Kalev, o primeiro líder dos estonianos.

Pikk jalg

Pikk jalgLong Leg Gate Tower

Uma das primeiras vistas que temos ao chegar a Toompea é a linda Catedral de Alexandre Nevsky, uma igreja ortodoxa russa, símbolo da tentativa de russificação dos Países Bálticos no final do século XVII. Propositadamente, foi construída em frente ao prédio do Parlamento. Quando a Estônia conquistou sua independência pela primeira vez, em 1918, pensaram em demoli-la, mas quando a liberdade veio de vez, há 20 anos, os planos mudaram e preferiram restaurá-la. Os turistas agradecem!

Mas a igreja mais importante é a luterana Toomkirik, que inclusive é a origem do nome de Toompea e representa o período de domínio alemão na região. A igreja, construída no século XV e modificada posteriormente, não é das mais bonitas, mas fica aberta para visitação. Lá dentro estão enterrados os ricos e nobres de antigamente, cujos brasões adornam as paredes.

ToomkirikToomkirik

Andando mais um pouco chega-se a mais algumas antigas torres, a jardins e a cantinhos e becos intrigantes. Nosso guia dizia que uma das torres por ali era mal-assombrada e que várias pessoas já haviam visto fantasmas de um monge crucificado e de um cachorro com olhos de fogo. Nós andamos para lá e para cá procurando e tiramos várias fotos, mas não vimos nada. 😉

Tallinn

TallinnTallinnTallinn

Em um dia é possível conhecer todo o centro histórico tranquilamente, mas isso não quer dizer que Tallinn não mereça mais tempo. Depois que a maioria dos turistas (que não sabem o que estão perdendo!) vão embora,  a cidade fica ainda mais interessante. Sem contar que fora do circuito mais turístico há mais a ser explorado. Nos próximos posts vou mostrar mais algumas atrações de Tallinn e provar que ela é muito mais que um bate e volta!

Veja também:

Veja todos os posts no Viaggiando sobre minha viagem ao Norte da Europa!

O post contém links para programas de afiliados. Leia a política de monetização do Viaggiando.

107 Flares Twitter 9 Facebook 98 Google+ 0 107 Flares ×

Continue Viaggiando:

54 Comments

  1. Lindas fotos! O lugar parece ser muito bacana!

  2. Luciane Tesch

    Nossa! É mesmo uma graça! Em algumas fotos, me lembrou muito Praga! Bjs, Lu.

  3. Eu estive la em dezembro, sai de Helsinki com chuva e vento e quando cheguei em Tallin tava o maior solzão! Adorei essa cidade.. Posso dizer q enqto caminhava por la tbm fiquei com vontade de morar lá 🙂
    Muito bom relembrar e ver fotos de outros angulos desta cidade!! 🙂

  4. Que legal ver Tallinn pelo seu post. Me pareceu muito mais interessante.
    E surpreendente mesmo foi ser o local com mais brasileiros!

    • Eu fiquei super surpresa! Na Suécia só vimos brasileiros em Estocolmo, e não eram muitos. Em Helsinque só encontramos um casal. Em São Petersburgo, apesar da enorme quantidade de turistas, havia pouquíssimos brasileiros. Mas em Tallinn! No meio da confusão de turistas nas “horas de pico”, ouvíamos português toda hora! Engraçado, né?

  5. Boia Paulista

    Oi, Camila. Tudo bem?

    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem 🙂
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Beijos,
    Bóia Paulista

    • Obrigada pela atenção de sempre, Boia! Já vou me preparar para o aumento do número de acessos. É o que sempre acontece quando apareço na #Viajosfera. 😉

      Beijos!

  6. Belas fotos, ainda bem que não demoliram a catedral!

  7. É tão difícil evitar os adjetivos! E colaborando com mais: fofa, encantadora! Tallinn é mais do que eu imaginava…
    E os clichês muitas vezes são justificados 🙂
    Um beijo!

    • Emilia, Tallinn também foi mais do que eu imaginava! Eu já esperava uma cidade com todos esses adjetivos, mas o clima da cidade me deixou ainda mais apaixonada!

      Beijos!

  8. Oi, Camila! Estou aproveitando a conexão do aeroporto de Tallin pra dizer, agora com conhecimento de causa, que a cidade é linda mesmo e vale a visita! Tive só três horas úteis no centro da cidade, mas deu para caminhar sem rumo por lá (deu tempo, inclusive, de eu me perder e precisar recorrer à onipresente rede wifi para me encontrar) e ainda almoçar num restaurante medieval. O dia por aqui está lindo, e estou com dó de não ficar mais!

    • Wanessa, em três horas dá para ver muita coisa em Tallinn, mas fica um gostinho de quero mais, né? 😉 Você já tá voltando? Quero ver o relato completo da viagem depois!

      Beijos!

  9. Thais Cristina de Oliveira

    Olá Camila,
    Encontrei seu blog no Viaje na Viagem e estou programando uma viagem parecida com a sua, incluindo a Noruega, porém indo somente a Tallin dos países bálticos. Seu blog é muito completo e você é muito detalhista.
    Sairei de SPB de ônibus e chegarei a Tallin às 23 horas. Li que vc também chegou a Tallin a noite e gostaria de fazer algumas perguntas.
    A estação de Tallin é longe do centro? E os meios de transporte? A princípio penso em reservar o hotel que vc recomendou, o 16 eur hostel, mas antes gostaria de saber como é a chegada para quem desce na estação de ônibus.
    Desde já agradeço pelas muitas dicas que consegui aqui!
    Obrigada,
    Thais

    • Thais, eu cheguei à noite, mas mais cedo que você, às 20h. Como era verão, ainda não estava escuro. Fomos para o hotel (G9, o primeiro em que ficamos) a pé.

      Na volta fomos para o terminal de tram, que para do lado de fora do terminal. Provavelmente ele estará funcionando, mas, como você chegará tarde, acho que a melhor opção é pegar um táxi. Se você viajar com a Lux Express, é possível reservá-lo quando comprar a passagem de ônibus. De acordo com o site, custa 6,5o euros. Acho que compensa. Dê uma olhadinha aqui: http://www.luxexpress.eu/en/taxi-service

      O terminal de ônibus não é longe do centro, mas não é perto o suficiente para que compense se hospedar lá perto. O melhor é ficar pertinho do centro histórico.

      Beijos!

  10. Olá Camila,
    Em meados de outubro irei para Moscou, SPB, Tallinn e Escandinávia. Estou pensando em 03 noites (02 dias inteiros) em Tallinn, o que você acha?
    Obrigado,

    Kako

    • Oi, Kako! Eu acho um tempo bom. Também passei dois dias lá e aproveitei bem. É claro que com mais tempo eu poderia ter conhecido os arredores da cidade, por exemplo, mas nosso tempo para viagens infelizmente não é infinito, né? A maioria dos turistas passa apenas o dia lá e vê tudo correndo, o que eu acho uma pena, pois à noite a cidade é linda e vazia. Mas vá agasalhado! Em outubro o inverno já deve estar dando as caras por lá. 😉

      • Obrigado Camila.
        Não gosto de “passar” pelas cidades. Fico 05 dias e Moscou e mais 5 em SPB.
        Valeu pelo ótimo e detalho blog e pela dica.

        • Olá Camila,
          Olha eu aqui de novo… Estou pensando em ficar um dia a mais em Tallinn e fazer um day trip em Helsinki, saindo as 07h30 e voltando as 20h30, você acha que vale?

          Obrigado,

          Kako

          • Kako, se você estiver interessado apenas em cohecer os principais pontos turísticos de Helsinki, vale sim. A cidade é pequena e o bom é que você desembarca já na área turística e pode caminhar a partir de lá.

  11. Pedro Botelho

    Camila,

    Bom dia! Gostei muito do seu post sobre Tallin, inclusive mudei o meu roteiro, desistindo da Finlandia para ir a Estonia….
    Te escrevo pois gostaria de saber onde vocês se hospedaram e se é perto do Porto, já que irei de ferry, vindo de Estocolmo.
    Queria saber também se 2 noites na cidade são suficientes e se Tallin é um lugar barato.

    Muito obrigado, Pedro

  12. Carlos Schulz

    Olá Camila.

    Você mencionou “guia” neste post. É muito importante um guia neste caso, quanto pagaram?

    Parabéns pelos posts. Começei a ler desde a Suécia e não consigo parar… hehe. Na verdade, cheguei ao seu blog pois estou planejando ir à Escandinávia em Julho (e já estou incluindo os países bálticos).
    Abraço.
    Carlos

    • O guia era só um guia em papel, da Lonely Planet. 😉 Não há nenhuma necessidade de se contratar um guia nos países bálticos. As cidades são super amigáveis ao turista. Pode ir tranquilo! 🙂

      • Thais Cristina de Oliveira

        Não é bem propriamente um guia, mas depois que voltei de Tallinn, alguns amigos me indicaram que na praça principal tem um walking tour pelas principais ruas da cidade. Esses walking tours são realizados por estudantes de faculdade (história, turismo etc) e são grátis, você pode dar uma contribuição ao final do passeio. São curtos, algo como 1 ou 2 horas.
        Meus amigos gostaram muito, mas não participei, pois só fiquei sabendo quando voltei.

  13. Camila, estou fazendo roteiros para uma viagem em julho e suas dicas tem sido ótimas. As fotos são lindas! Parabéns, você é ótima!.

  14. Felipe Amorim de Albuquerque

    Olá Camila,
    Qual foi a época que vc visitou Tallinn?
    Estou indo no final de Agosto, ficarei entre 24/08 (sábado) a 26/08 (segunda).
    Vc acha q esses dias serão suficientes p conhecer?
    Abraços e parabéns pelo post!

  15. Gabriela Favero

    Camila, quero muito conhecer Tallinn. Pretendo também visitar a Noruega (fiordes), Dinamarca, Suécia, Finlândia e San Petersburg (me aconselharam a estar lá em 21/06 para aproveitar o festival que fazem por ser a época do sol da meia-noite/solstício). Tenho 23 dias em junho para tudo isso. É possível? Ou devo cortar alguma coisa? Quantos dias em cada lugar? Que sequência seria melhor? Se pudesse me ajudar, seria ótimo.

    • Gabriela, você vai ter que selecionar o que quer conhecer em cada país e depois colocar no “papel” pra ver se é suficiente. A princípio 23 dias é um tempo bom, mas o quanto você quer explorar de cada país?

      Muita gente faz só um bate e volta a Talliin, mas eu recomendo dormir lá pelo menos uma noite para aproveitar a cidade como se deve.

      Eu compraria a passagem aérea chegando por um país e saindo por outro (foi o que fiz, cheguei por Estocolmo e fui embora de Vilnius) para não ter que voltar ao ponto de partida. Tente a ida para a Noruega e a volta de São Petersburgo ou Tallinn, ou vice-versa. Eu fui de Helsinki a São Petersburgo de trem e de lá para Tallinn de ônibus, mas tudo dependerá da sua passagem aérea.

      • Gabriela Favero

        Obrigada pelo retorno, Camila!

        Estou pensando em fazer mais ou menos assim:

        Zurich: 28/05, 25 e 26/06

        London: 29, 30, 31/05 e 01 e 02/06

        Cambridge: 1 dia (passear num punting)

        Norway: 5 dias (fiordes, Oslo, Bergen, Flam, Myrdal e
        Balestrand)

        Denmark: 5 dias (Copenhague)

        Sweden: 5 dias (Estocolmo, Gothenburg e Malmo)

        Finland: 2 dias (Helsink)

        Tallinn: 1 dia e 1 noite

        San Petersburg: 4 dias (21, 22, 23 e 24/06)

        Já tenho a passagem de ida e volta comprada: SP-Zurich. Meu irmão e vários amigos moram lá. De lá vou para Londres, e de Londres para a Escândinavia. O último lugar será San Petersbug pelo festival. Mas estou com dificuldade para decidir em que sequência é melhor eu fazer Noruega, Suécia, Dinamarca, Finlândia e Tallinn. O que acha? A quantidade de dias que deixei para cada lugar está boa? Pelo menos, cheguei a um esboço.

        • Gabriela, acho que a melhor ordem é a geográfica mesmo. Se você quer terminar em São Petersburgo, pode começar pela Noruega. A Dinamarca é a que está mais deslocada nesse trajeto, mas o transporte por lá é eficiente. Você tem que estudar as rotas e ver se compensa, por exemplo, ir de Oslo a Copenhagen e de lá para a Suécia ou se seguiria direto a Estocolmo. Eu decidiria isso com base nas conexões: horários e preços.

  16. Gabriel Antunes

    Eu amei os seus posts sobre os país bálticos eu sou muito crítico com blogs de viagens atualmente, eu só leio três e agr o seu entro para minha lista, os textos são maravilhosos e muito interessantes e com conteúdo de alta qualidade, adorei o designer do site é super fofo mas sem ser muito fofo, do jeitinho certo, parabéns vc ganho mais um leitor fiel! bjs … 🙂 🙂

    • Que honra, Gabriel! Confesso que eu tenho certo orgulho desse série sobre os países bálticos. Gostei muito de lá e escrevi os posts com carinho. 🙂

  17. Oi Camila, como é o custo para turistas? Você tem lembrança ainda de preço de refeição, entradas, etc? Poderia me dar uma luz? Faz tempo que vc foi? Obrigada pelas dicas. Grata. Josilene

    • Josilene, eu até tenho essas informações anotadas, mas fui a Tallinn há quase 3 anos, então elas estão desatualizadas. Mas no geral não era uma cidade cara e a maioria das atrações são ao ar livre.

      • Valeu Camila. Obrigada pela atenção e que tenhas mais belas viagens para compartilhar aqui com a gente.

  18. Guilherme Souza

    Vou fazer um bate e volta em Tallinn. 1 dia apenas, estarei hospedado em Helsinki.

    Dá para chegar no porto e dali fazer um tour a pé? Ou preciso pegar outro transporte para chegar na área onde tem as coisas legais?

    Obrigado!

    • Guilherme, eu não cheguei a ir ao porto, pois fui de ônibus para Tallinn, vindo de São Petersburgo, mas me lembro de avistar o porto durante os passeios. Acho que dá sim para ir a pé, mas confira seu terminal de desembarque e dê uma conferida no Google Maps.

  19. Olá…vou para Tallinn em agosto de 2014, é um lugar seguro para andar sozinho? Só para eu ter uma ideia…os preços em Tallinn são parecidos com Suécia, Finlândia ou Noruega? Obrigado e parabéns pela qualidade das informações e fotografias.

    • Gustavo, concordo com o Pedro. Achei Tallinn uma cidade bem segura. Estive lá há 3 anos, então os preços podem ter mudado, mas era uma cidade bem mais barata que Estocolmo e Helsinque.

  20. Gustavo, estive em Tallin ano passado, sozinho. Andei por todos os lugares de madrugada e não vi perigo algum ou risco. O que me assustou na verdade foi o frio, kkkkk. Do resto, muito pacato e tranquilo. Boa viagem e aproveite os restaurantes, que são ótimos, principalmente na Old Town

  21. Camila, em Agosto vou a Madrid, que será minha base na Europa. De lá, pego um voo para Tallin. A idéia é conhecer 5 capitais: Tallin, Helsinque, Riga, Vilnius e Varsóvia. Farei um bate volta Tallin-Helsinque. Penso em ficar 3 noites em Tallin, 2 em Riga, 2 (ou uma) em Vilnius e 2 em Varsóvia, onde pego um voo de volta a Madrid. O trajeto de Vilnius-Varsóvia é pesado, 10h em ônibus na Lux. Queria saber se vc já saiu do Brasil com tudo comprado e pago, como hotéis, passagens, traslados, etc. Sei que engessa um pouco a viagem, mas não será uma boa idéia para se conseguir vagas em hotéis e preços mais baratos de passagens? Parabéns pelo seu belíssimo relato dos países bálticos, vão me ajudar muito.

    • Luiz, minha “regra” na maioria das viagens é comprar com antecedência as passagens aéreas e reservar os hotéis, só. Reservo os hotéis pelo booking (tem um banner aqui na barra lateral), geralmente sem pagamento antecipado e com possibilidade de cancelamento. Translado eu reservo quando vou usar, mas na maioria dos lugares uso transporte público mesmo. E passagens de ônibus e tudo mais eu compro na hora. Os países que você citou são fáceis e têm transporte público eficientes, então não há muito motivos para preocupações. Mas os hotéis eu reservo antes porque não quero chegar e ficar andando de um lado para o outro procurando um lugar e porque as melhores opções esgotam logo. Sim, isso engessa a viagem, mas quando se viajar por curto tempo não há como ser de outro jeito.

  22. Bruno Branco Pontarolli

    Camila, quanto dias você recomenda em Talinn, Riga e Vilnius?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *