Aveiro – O relato de um encanto

2.7K Flares 2.7K Flares ×

AveiroAveiro nem mesmo estava no nosso roteiro de viagem original. Durante o planejamento da viagem,  não encontrei nada sobre a cidade que me chamasse atenção. Quase no final das férias, quando retornaríamos de Porto direto para Lisboa, estávamos tão apaixonados por Portugal que resolvemos incluir alguma parada no caminho para ter a chance de nos encantarmos com mais alguma cidade. Uma breve olhadinha no mapa nos mostrou Aveiro, um passeio que costuma ser feito em bate e volta desde Porto, mas que nós preferimos transformar em uma tarde e uma noite. Mudamos a reserva do hotel em Lisboa de última hora e reservamos um em Aveiro às pressas.

A viagem foi rápida. Pegamos o trem das 12h05 em Porto e pouco mais de uma hora depois estávamos em Aveiro. Desembarcamos num terminal moderno, mas que teve o bom gosto de preservar do lado de fora a linda fachada da antiga estação de comboios decorada com azulejos. A estação fica um pouco afastada do centro da cidade, mas era uma caminhada perfeitamente possível com nossa diminuta bagagem.

Reserve agora seu hotel em Aveiro e garanta os melhores preços!

Antiga estação de Aveiro

Estação de Aveiro

Estação de Aveiro

Estação de Aveiro

Aveiro costuma ser descrita como a Veneza de Portugal. Eu já esperava que o título fosse exagerado, mas confesso que num primeiro momento fiquei até mesmo um pouco decepcionada com a cidade. Os canais davam um charme a mais, havia algumas casas revestidas com o típico azulejo português, outras recentemente restauradas, mas nada que nos empolgasse. Ela era bonitinha, mas só.

Canal de Aveiro

Azulejo português

Casas em Aveiro

Eu tinha visto algumas fotos bem bonitas na internet, mas, chegando ali, eu simplesmente não conseguia ver aquela beleza. Acho que esse mau humor foi agravado pelo fato de termos chegado um pouco tarde e de às 15h não encontrarmos nenhum restaurante aberto para almoçarmos. Era meio de semana e a cidade seguia seu ritmo de vida normal, sem muitos turistas comendo fora de hora. Quando desistimos, comemos um sanduíche em uma lanchonete e, para adoçar um pouco nosso humor, os famosos ovos moles de Aveiro.

Ovos Moles de Aveiro

Com a fome saciada, saímos para fazer um reconhecimento do território. Até fomos ao posto de informações turísticas, mas a impressão que tivemos é que não havia quase nada para se fazer na cidade. Até ficamos sabendo de alguns passeios na região, mas nós não tínhamos tempo para eles. Então saímos caminhando meio sem rumo. Seguimos ao lado do Canal do Côjo, passando pelo antigo prédio da Capitania do Porto e pelo Fórum Aveiro, um enorme shopping ao ar livre.

Antiga Capitania do Porto de Aveiro

Fórum Aveiro

Aveiro

Canal do Côjo

Canal do Côjo

Nossa caminhada nos levou até a Praça do Mercado. Entramos no Mercado Manuel Firmino, novinho e organizado, bem diferente de muitos mercados que vemos pelo mundo. Lá encontrei até (imaginem só!) uma loja de produtos  vegetarianos, culinária tão rara em Portugal. Logo em frente ao mercado fica uma das lojas BUGA, as bicicletas de utilização gratuita de Aveiro. É  isso mesmo! Bicicletas gratuitas! Basta apresentar um documento para poder conhecer Aveiro sobre duas rodas!

Mercado Manuel Firmino

Mercado de Aveiro

Mercado de AveiroMercado de Aveiro

Pensamos em pegar as bicicletas para conhecer alguns pontos mais distantes do centro, mas, como só tínhamos aquela tarde em Aveiro, tivemos que escolher. Preferimos fazer um passeio de barco, ou melhor, de moliceiro, a embarcação típica da região, que leva esse nome por ter sido originalmente usada na apanha do moliço, um tipo de alga usada para adubação. Deve ser daí que vem a comparação com Veneza, pois os moliceiros têm o mesmo formato de meia-lua das gôndolas venezianas. Suas pinturas são sempre coloridas e geralmente contam histórias de humor.

Brôa de Aveiro, cortesia no passeio de moliceiro

Moliceiros de Aveiro

Moliceiros de Aveiro

O passeio durou cerca de 45 minutos e, partindo do Canal Central, se dirigiu ao Canal do Côjo. Fomos até o Centro de Congressos, localizado na Antiga Fábrica de Cerâmica, onde demos meia-volta, passando por uma zona mais moderninha da cidade.

Antiga Fábrica de Cerâmica de Aveiro

Antiga Fábrica de Cerâmica de Aveiro

Aveiro

Aveiro

Voltamos ao Canal Central e  de lá seguimos para o Canal de São Roque, onde o passeio começou a ficar realmente interessante. No início dele, as construções se assemelham às da rua principal, mas logo a arquitetura muda e começa a dar espaço aos antigos barracões de sal.

Capitania do Porto de Aveiro, no Canal Central

Passeio de moliceiro em AveiroPasseio de moliceiro em Aveiro

Aveiro vista do Canal de São Roque

Barracão de sal em Aveiro

Barracão de sal em Aveiro

As salinas fazem parte da história de Aveiro. Os primeiros registros da exploração de sal na cidade remontam ao século X. Nos tempos de maior opulência, existiam mais de 300 salinas, mas apenas 7 sobreviveram até os dias de hoje. Há passeios às salinas em que é possível conhecer os métodos de salicultura da região. O que achei mais interessante foi  ver que ao lado dos antigos barracões de sal há construções modernas, comerciais e residenciais, mas construídas no mesmo estilo, mantendo uma harmonia arquitetônica e de certa forma homenageando a tradição. Não entendo nada do assunto, mas o resultado me agradou.

Barracões de sal em Aveiro

Aveiro - Novas e antigas construções

Casas novas em Aveiro

Ainda no Canal de São Roque, vimos a ponte para pedestres mais antiga de Aveiro, e para mim também a mais bonita, a Ponte dos Carcavelos. E é lá também que está a ponte mais nova e moderna, a Ponte Circular.

Ponte dos Carcavelos

Ponte Circular de Aveiro

Ponte Circular de Aveiro

Quando eu estava, enfim, me afeiçoando à cidade, nosso passeio acabou (custou €5 mais a taxa municipal de €1). Quando retornamos ao Canal Central, eu já estava conseguindo enxergar a cidade com outros olhos, principalmente após conhecer um pouquinho de sua história e ver reflexos dela em suas ruas.

Aveiro

Canal Central de Aveiro

E aí já era fim de tarde, hora de voltar ao hotel para recarregar as baterias. Antes passamos em um supermercado para comprar água e sabe o que encontramos na parte de padaria? Pão de queijo! Não experimentamos, mas a aparência era a do nosso pão de queijo mesmo. Será que há muitos mineiros em Aveiro? 😉

Fim de tarde em Aveiro

Fim de tarde em Aveiro

À  noite saímos para jantar e até que havia muitas opções de restaurantes, mas a maioria estava vazio. Um só estava cheio e lá dentro estavam várias famílias que não tinham cara de turistas, então presumimos que seria bom. Era o restaurante O Telheiro e, como já era de se esperar numa cidade litorânea, o carro chefe da casa é o peixe. Não havia nenhuma opção vegetariana no cardápio, mas eles se prontificaram a fazer “o que eu quisesse”.  Para não inventar moda, me contentei com um arroz com verduras. O prato do Eduardo é que achei mais engraçado. Os peixes fritos tinham como acompanhamento um arroz de feijão, um jeito bem diferente de servir o nosso prato do dia a dia.

Restaurante O Telheiro Restaurante O Telheiro

Peixes fritos e arroz de feijão

Restaurante O Telheiro

Na manhã seguinte já tínhamos que ir embora, mas aí eu já lamentava ter passado tão pouco tempo em Aveiro. Como a cidade não estava no roteiro, eu não sabia nada sobre ela antes de chegar lá  e por isso não me planejei. Eu não sabia, por exemplo, que há mais de mil anos, Aveiro se encontrava em uma baía, e que, ao longo dos séculos, a sedimentação de areia na costa acabou formando uma lagoa, conhecida como Ria de Aveiro, cuja ligação com o mar não era fixa e constante (dá para entender como isso aconteceu aqui). Essa comunicação instável com o mar também ditava os períodos de instabilidade em Aveiro. Além dos prejuízos econômicos pela interferência no comércio, a falta de renovação da água da lagoa gerava um problema de saúde pública e se transformava em calamidade, provocando muitas mortes, principalmente de crianças.

No século XVIII, a saída para o mar fechou-se novamente e Aveiro entrou em seu período de maior decadência. A população havia decrescido muito e grande parte dela vivia em situação de miséria. Apenas em 1808 o problema foi resolvido com a construção de uma abertura artificial e definitiva da lagoa para o mar. E então começa uma nova época para a cidade. O renascimento da cidade é marcado também pela arquitetura e é por isso que em Aveiro, ao lado dos azulejos, vemos um estilo tão marcante e tão diferente do resto do país, o Art Nouveau, que lá tem um nome muito mais simples, Arte Nova. Lembram quando eu falei sobre o estilo Art Nouveau em Riga? Pois foi justamente essa semelhança que me deixou curiosa e me fez querer conhecer mais a história de Aveiro.

Arte Nova em AveiroArte Nova em Aveiro - Museu da Cidade

Arte Nova e Azulejos em Aveiro

Arte Nova em AveiroArte Nova em Aveiro

Arte Nova e Azulejos em Aveiro

O mais lindo desses prédios foi transformado, há pouco mais de um ano, no Museu Arte Nova. Além da visita ao museu, eles organizam uma visita a pé pelo Circuito Arte Nova de Aveiro, em que se conhece 28 dos principais monumentos desse estilo arquitetônico, sinalizados por placas indicativas na calçada. No térreo há ainda uma Casa de Chá que à noite se transforma em bar. Só que tudo isso eu só descobri à noite, quando o museu já estava fechado. Então, se você for a Aveiro, visite o Museu Arte Nova por mim e venha me contar como foi, se faz favor!

Museu Arte NovaMuseu Arte Nova

Como vocês devem ter conseguido perceber, meu desencanto inicial com Aveiro aos poucos foi se transformando em encanto. Nas poucas horas que passei lá, fui descobrindo motivos para conhecê-la e me lamentando por não ter dedicado mais tempo a ela. Vi apenas uma amostra do que Aveiro oferece e ficou aquele gostinho de quero mais. Ai, ai… Assim eu nunca vou conseguir tudo que quero em Portugal.

Veja todos os posts  sobre Portugal no Viaggiando.

O post contém links para programas de afiliados. Leia a política de monetização do Viaggiando.

2.7K Flares Twitter 9 Facebook 2.7K Google+ 3 2.7K Flares ×

Continue Viaggiando:

58 Comments

  1. Que decisão acertada, Camila!
    A impressão que tenho de Aveiro (por fotos, somente) é de uma cidade encantadora e tenho muita vontade de conhecê-la. Ainda mais agora sabendo que é cheia de exemplares de art nouveau!
    Curiosamente estava conversando sobre ela com uma atendente da lanchonete do TGV: ela tinha nascido em Aveiro e ido muito cedo para a França. Disse que gostava demais da cidade natal.
    Como sempre, boas oportunidades de/em viagem não devem ser desperdiçadas!
    Um beijo e parabéns pelo lindo post.

    • Emilia, o problema de Portugal (da Europa?) é que a cada poucos quilômetros há um lugar interessante para se conhecer, então é difícil montar um roteiro e não deixar várias cidades legais de fora. Ainda bem que deu tempo de incluir Aveiro, mas lamento não ter me preparado para conhecê-la melhor. O Circuito Arte Nova deve ser deslumbrante!

      Beijos!

    • Emilia sou Aveirense de coracao, nao de nascimento,(pois nasci em Lisboa), mas casei com um Aveirense, devo dizer que me apaixonei pelos dois em simultanio, o meu conselho, e que de facto Aveiro e uma c idade que nao se pode deixar de visitar, hoje vivo nos E.U.A., mas tenho imensas saudades da minha linda cidade.

  2. Kelli Machado

    Aveiro é encantadora, parece cidade cenográfica. E arroz de feijão eu acho uma delícia! E sobre o pão de queijo, vc deve ter ido ao mercado Pingo Doce, eles fizeram uma parceria com a forno de minas e vendem pão de queijo quentinho ou o saco congelado 😉 Beijos

    • Kelli, era esse supermercado mesmo! Que delícia! Sorte dos portugueses e dos brasileiros que vivem lá e agora podem comer pão de queijo todos os dias! 🙂

  3. Art nouveau é sempre o meu ponto fraco, adoro esse estilo de arquitetura e vivo correndo atras de referencias dele em todas as minhas viagens. Esse prédio do museu é lindo! Se não fosse seu post, nunca saberia sobre esse lugar. Ja fiquei com vontade de ir a Aveiro!

    • Wanessa, acho que então você iria adorar Aveiro! Eu também não sabia dessa característica da cidade e quando cheguei lá me surpreendi com a arquitetura tão diferente do resto de Portugal. Fiquei mesmo chateada por não ter ido ao museu e não ter feito o circuito. Quem sabe você não vai antes de mim? 😉

    • se gosta de Arte Nova viaje até Noruega e visite a cidade de Alesund..vai adorar….

  4. Marcelo (Álbum de Viagens)

    Fantástico o relato, Camila. Quando estive no Porto no ano passado, tinha planejado visitar Aveiro, mas na última hora troquei por Amarante. No final das contas, não achei Amarante tão interessante assim. Se soubesse da presença do art nouveau, certamente teria revisto a decisão.

    • Oi, Marcelo! Viagens são assim mesmo, né? A gente tem que ir a um lugar pra saber se vai gostar!

      Engraçado, parece que o patrimônio arquitetônico de Aveiro não é tão conhecido. Eu também não sabia do Art Nouveau até chegar lá. Fico feliz por estar divulgando e despertando o interesse das pessoas pela cidade. 🙂

  5. Oi, Camila. Tudo bem? 🙂
    Seu post foi selecionado para a #Viajosfera, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Natalie – Boia

  6. Candida Silva

    Aveiro é uma jóia mesmo! Pena não terem conseguido ir até a Ria. Um lugar bonito, com muitos restaurantes de frutos do mar, bom para almoçar. As praias de Aveiro também são muito bonitas. E bem pertinho, em ìlhavo, existe a fábrica da Vista Alegre, uma das porcelanas mais famosas da Europa. A fábrica tem um pequeno museu e abre às visitações.

    • Pois é, Candida! Eu cheguei lá sem saber de nada disso, achei que a cidade quase não tinha atrações e fui embora morrendo de raiva por tudo que descobri e não pude fazer por falta de tempo. Humpf!

  7. Margarida Nobre

    Camila
    Na verdade ás vezes valorizamos pouco o que temos perto… além dos ovos moles e das compras no Fórum eu nunca liguei muito á cidade… da próxima vez vou ver Aveiro com outros olhos e não vou perder o museu! 🙂 Beijos

    • Margarida, bom que você está aí pertinho e pode rever a cidade muitas vezes, cada vez com um novo olhar. Se você for ao museu, volte aqui para me contar, tá? Eu fiquei com muita vontade de conhecê-lo! Beijos!

  8. O “problema” de ler blog de viagem é esse. A lista de desejos já é grande, lendo essas coisas ela só aumenta! Mas um lugar que nem sabia da existência e fiquei com vontade de conhecer. Sua viagem a Portugal parece que foi linda, Camila. Estou grudada acompanhando tudo!

  9. Estou muito ansiosa para nossa visita em Aveiro! Quando montamos roteiro, queriamos uma parada na viagem entre Lisboa e Porto (ao contrário de vocês, vamos parar em Aveiro na ida!) sem ser Coimbra. Fuçndo no mapa de Portugal, pesquisei Figueira da Foz (uma tia tem casa lá) mas achamos Aveiro e ficamos muito interessados nas informações colhidas pela internet. Só que agora tô achando pouco… devemos chegar em Aveiro no final da tarde e vamos embora na manhã… menos ainda do tempo que vocês ficaram, já estou sentindo que vai dar só um gostinho! Pelo menos, vai ser dia 06/07, um sábado e talvez tenha mais opções de restaurantes para o jantar! Tô curiosa para experimentar os ovos moles e a tripa de Aveiro! Obrigada pelo post, muito valioso!

    • Ah, Tati, mas pelo menos agora você já pode se planejar com antecedência, né? Se der tempo, você pode chegar e fazer um passeio de barco, que já mostra muito da cidade, ou talvez conhecer o Museu Arte Nova, caso ele ainda esteja aberto. Se não, dê uma passadinha pelo menos da Casa de Chá do Museu, que funciona até mais tarde. No jantar há mais restaurantes abertos, você não terá problemas. E, quanto aos ovos moles, eles estão por toda parte! 🙂

      Beijos! E boa viagem!

  10. “Assim eu nunca vou conseguir tudo que quero em Portugal. ;-)”

    Não vai não, e sabe porquê?! Porque Portugal têm sempre mais e mais para oferecer!! 🙂

  11. Sou de Aveiro, e fico muito contente com o que aqui escreve sobre a minha cidade.. De facto, deveria haver uma maior exploração desta cidade, mais “publicidade”, mas acho que deveria experimentar voltar e por mais tempo 🙂
    Tenho a certeza que não se vai arrepender
    Cumprimentos..

    • Joana, eu adoraria voltar a Aveiro! Gostei tanto de Portugal que com certeza irei voltar ainda muitas vezes!

      • Não sei se foi ao mercado do peixe à noite. É lá que os jovens se reúnem nas ruas fechadas ao trânsito e cheias de alegria. Há imensos Barzinhos

        • Oi, Milu! Eu passei por lá sim, mas era meio de semana e não havia muita gente nas ruas. Mas o restaurante em que fomos estava bem cheio!

          • Camila, partilhei no facebook, na página dos “Amigos de Aveiro” a sua descrição, porque a achei deliciosa. Sempre gostamos que apreciem a nossa cidade!

  12. na próxima tem que ir visitar o CAMPUS UNIVERSITÁRIO……..vai ver edifícios de arquitectos portugueses contemporâneos e muito premiados….

  13. Aveiro é uma cidade linda! Tranquila, pacata, que conjuga o antigo com o moderno… Sou de Aveiro e fico muito orgulhosa do que escreveu, bem como das bonitas fotos. Tem de voltar… A Universidade é linda, as praias maravilhosas e ficou por provar a tradicional tripa 😉

  14. Débora Oliveira

    Aveiro é mesmo assim! Ao inicio, estranha-se e depois entranha-se! Tive o prazer de estudar durante meio ano nessa cidade e adorei! É uma cidade um bocadinho ventosa e fria mas as casa antigas, a ria, os moliceiros, os ovos moles, são o que nos agarra à cidade!

  15. Olá, sou de Aveiro 🙂 Se algum dia voltar, tem aqui um restaurante com várias opções vegetarianas: Ki Macrobiótico (http://www.kimacrobiotico.com) e também várias lojas com produtos vegetarianos: Iberdieta, Prodiético, Girassol, Natur Ria e Sonatura 😀

    vou deixar aqui os links das lojas e dos restaurantes existentes em Portugal 😉

    Lojas – http://www.centrovegetariano.org/Lista-1-Lojas%2Bde%2BProdutos%2BNaturais.html
    Restaurantes – http://www.centrovegetariano.org/Restaurantes.html

    Boas viagens e bom apetite*

  16. Excelente reportagem. Vivi em Aveiro por cinco anos e adorei a cidade.

  17. Wilson Morgado

    E andando um pouco mais a pé, poderia ter visitado o campus da Universidade de Aveiro, com vista para a ria.

    Para quem pretender visitar a casa-museu mencionada no artigo: http://www.wilson.com.pt/aveiro

    • Obrigada pelo link do artigo, Wilson! Pelo menos quem ler meu post não irá cometer o mesmo erro que eu e com certeza irá conhecer o museu, que é maravilhoso por fora e também deve ser lindo por dentro!

  18. Paula Carvalho

    Sou carioca e vivo em Aveiro há 19 anos… Adorei ler o seu relato e vou “roubar” e publicar no face, para partilhar com o mundo o meu grande orgulho em ter as duas cidades mais lindas do universo no meu coração! Para a próxima visita a Aveiro reserve também um espacinho para a Universidade que é fantástica, para o farol da praia da Barra (se tiver a hipótese de subir ao farol é 5*, tem uma vista maravilhosa) , para a igreja Sé de Aveiro, as casas típicas da Costa Nova, e se voltar ao restaurante Telheiro coma o Bacalhau na côdea (é um bacalhau feito no forno, mas dentro do pão)… Boas viagens e continue a partilhar as suas experiências! 🙂

    • Paula, depois de 19 anos você já pode se considerar aveirense! 🙂 Já me indicaram a universidade em comentários aqui em cima e foi uma pena eu não saber nada sobre ela quando estive aí. Na verdade eu não sabia quase nada sobre Aveiro e por isso acabei aproveitando muito pouco.

  19. Ana Maria Craveiro

    que cidades mais lindas , um dia ainda vou a Aveiro., beijos

  20. Pode pôr mais uma dica no cardápio, na próxima não pode deixar de passear pelas velhinhas ruas estreitas da Vera Cruz.. E tem muito mais, o Zé Estêvão, a Rua Direita, a Sé… Tanto mais Aveiro para descobrir!…Vai gostar de certeza!

  21. amo nosso Portugal um dia quero voltar

  22. Agostinha Maria Martins

    Olá, sou Aveirense de gema e fico muito orgulhosa quando falam da minha cidade. Obrigada pela visita e pelo maravilhoso relato que faz dela. Aveiro tem muito mais para ver.

  23. Regina Bentes

    Puxa Adorei o jeitinho como descreveu Aveiro. Sou brasileira, não mineira, adoro o pão de queijo, que compro sempre no Pingo Doce rs… Vivo em Aveiro há mais de 16 anos e todas as vezes que saio para fotografar essa cidade fico surpreendida, sempre descubro coisas novas. No verão Aveiro é uma delicia para os sentidos, fica ainda mais colorida, cheia de turistas, muitas atividades ao ar livre, muitas feiras. uma pena que não conheceu o parque da cidade, que é mesmo dentro da cidade, é uma área verde com um belo lago e uma casa ao estilo Arte Nova.

    • Imagino que Aveiro seja mesmo bem diferente no verão, Regina! E as casas aos estilo Arte Nova foram o que mais me encantaram na cidade. Ainda preciso fazer o roteiro completo!

  24. Eu sou de Aveiro! 🙂
    Apenas viste 10% da minha cidade…
    É linda… Podes voltar com tempo que não te arrependes…

  25. Thais Alcantara

    Olá Camila, há anos consulto o Viaggiando buscando informações para elaborar meus roteiros de viagem e sempre encontro novidades, vc merece meus elogios. Agora vou para Portugal em maio e novamente aqui estou, encantada com seus relatos. Algo me chama atenção neste texto sobre Aveiro, cidade que também fará parte do meu roteiro, foi o pão de queijo, que, como descendente de família mineira, sou apreciadora. Como estarei há vários dias longe do Brasil quando chegar em Aveiro, tenho certeza que gostaria muito de comer um pãozinho de queijo com café. Assim, pergunto se vc saberia informar o nome do supermercado ou indicar alguma referencia para que eu o encontre? Muito grata

    • Thais, a Kelli Machado disse em um comentário aqui em cima que é o supermercado Pingo Doce e acho que é era esse mesmo! Ela disse que eles vendem o pão de queijo da Forno de Minas. Depois me conta se é bom. =)

  26. Seguimos seu roteiro e adoramos! Destaque para a dica do restaurante O Telheiro! Nossos amigos comeram o prato que vcs indicaram e adoraram. Nós comemos o Bacalhau com Natas, que estava simplesmente DIVINO!!! Vale a pena conhecer Aveiro!

    • Camila Navarro

      Que bom saber, Amanda! Espero ainda ter a chance de voltar a Aveiro e aproveitar melhor a cidade. Ela é uma graça, né?

  27. Oi, amei seu relato sobre Aveiro, se já estava com vontade de incluir essa cidade no roteiro, agora já é certo.Vou alugar carro e sairei de Lisboa, passando por Órbido para conhecer, em função do pouco tempo e por não me interessar pelo turismo religioso não irei a Fátima, também acabei deixando Coimbra de lado por ter muito interesse na região do Douro. Minha dúvida é, devo ir primeiro ao Douro, onde quero ficar dois dias, seguindo para Guimarães e Braga, pernoitando em Guimarães e seguir para Porto (reservei dois dias para Porto) e de lá fazer um bate volta para Aveiro, ou teria como encaixar Aveiro de outra forma? Só tenho um dia para conhecer esta cidade. Você poderia me dar uma sugestão? De já obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *