198 Livros: Argélia – The Lovers of Algeria

0 Flares 0 Flares ×

198 Livros - ArgéliaAlguns livros parecem que nasceram prontos para virar filme. Eles têm todos os componentes necessários: boa trama, suspense, um enredo envolvente, um vai e vem temporal que deixa as coisas mais emocionantes. É esse o caso de The Lovers of Algeria, o livro que escolhi para representar a Argélia no Projeto 198 Livros. Seu escritor, Anouar Benmalek, nasceu em Marrocos. Filho de pai argelino e mãe marroquina, ele conhece bem a complicada história da Argélia no final do século passado. Benmalek é um dos fundadores do Comitê Argelino Contra a Tortura e nessa função ele recolheu depoimentos de vítimas de torturas praticadas pela polícia argelina. Provavelmente muito do que ele ouviu deve ter se refletido em sua obra.

The Lovers of Algeria começa em 1955, quando a vida de um casal é afetada por eventos trágicos durante a luta da Argélia, então colônia francesa, por sua independência. O livro dá um salto e vamos parar em Argel em 1997. A Argélia vive uma guerra civil e os europeus não são bem-vindos por ali, mas Anna não se impressiona com a hostilidade que enfrenta nas ruas. Seu marido morreu e seu filho está em casa, na Suíça, achando que ela está fazendo turismo no Egito. Ela escolheu nunca contar a verdade a ele sobre o que aconteceu quatro décadas atrás. Ele não sabe que ela está de volta à Argélia em busca de notícias de Nassreddine, seu primeiro marido, e do túmulo de seus filhos mais velhos.

The Lovers of Algeria - Anouar BenmalekEm Argel Anna conhece Jallal, um garoto órfão que com apenas 9 anos tenta sobreviver sozinho nas ruas da cidade. Ela o convence a acompanhá-la pelo país em busca de Nassreddine, em troca de uma recompensa financeira. No interior do país ela precisaria esconder sua verdadeira identidade e o garoto poderia ajudá-la em seu disfarce. Ao mesmo tempo a gente acompanha os passos de Nassreddine. É um típico roteiro cinematográfico que nos deixa apreensivos vendo o casal se aproximar ou se distanciar.

Em meio aos passos de Anna e Nassreddine no presente, somos transportados aos eventos do passado, uma sucessão de tragédias que abalaram a Argélia no século XX. Entre 1954 e 1962 os argelinos sofreram com a Guerra da Independência. Nessa época a violência contra os civis vinha tantos dos franceses  quanto da FLN (Frente de Libertação Nacional). Na década de 90, numa Argélia independente, o conflito se deu entre o governo – agora representado pela FLN – e fundamentalistas islâmicos. Essa guerra civil durou mais de uma década e deixou milhares de mortos.

É em meio a esses acontecimentos que The Lovers of Algeria se desenrola. O livro é marcado por muita violência. A leitura em muitos pontos me causou desconforto. São cenas tristes, pesadas, mas ainda assim havia algo belo que não me deixava desgrudar os olhos das páginas. Através da história de amor de Anna e Nassreddine, Anouar Benmalek me ensinou muito sobre a história da Argélia, colonialismo, preconceito, terrorismo, guerras. Não foi um percurso fácil, mas fiquei feliz por tê-lo feito. Estou cada vez mais convencida de que os melhores livros não contam histórias felizes.

The Lovers of Algeria foi publicado originalmente em 1998, em francês, e em inglês em 2004, pela editora Graywolf Press. A tradução é de Joanna Kilmartin. O livro está disponível com frete grátis para o mundo todo na Book Depository.

Saiba mais sobre o Projeto 198 Livros.

O post contém links para programas de afiliados. Leia a política de monetização do Viaggiando.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Continue Viaggiando:

2 Comments

  1. Tem uns livros que na metade do review eu já abro uma aba e começo a procurar no Book Depository

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *