Mosteiro de Khor Virap, aos pés do Monte Ararat

0 Flares 0 Flares ×

Estávamos viajando pelo Cáucaso há mais de dez dias. Já estávamos descolados, andando de metrô para todo lado em Yerevan, cumprimentando e agradecendo as pessoas em armênio, nos sentindo viajantes experientes. Sabe como é, depois de um tempo a gente pega o jeito do lugar, aprende a se virar mais facilmente, não cai em roubadas. Por isso decidimos que não precisávamos de um motorista para nos levar ao Mosteiro de Khor Virap, podíamos muito bem ir de transporte público. E assim fizemos!

Mosteiro de Khor Virap e o Monte Ararat

Voltemos só um pouquinho no tempo, deixa eu te contar melhor como foi essa história. Blogueiro de viagem é pra isso mesmo. A gente vai antes, passa os perrengues, conta como foi e vocês avaliam se desejam seguir os mesmos passos. Será que preciso dizer que caímos numa roubada?

Bom, é possível sim ir a Khor Virap usando o transporte público, essa só não é a forma mais prática e confortável, como vocês já vão perceber. Era uma quinta-feira de abril. Pegamos o metrô na Republic Square e descemos na estação ferroviária, Sasuntsi Davit. O terminal de marshrutky fica ao lado. Era essa a informação que constava no Guia Lonely Planet e antes de sair confirmamos os dados com a atendente do hostel em que estávamos hospedados. Ela falava tão bem inglês e nem para nos avisar sobre a fria em que estávamos nos metendo… Chegando lá, não havia um guichê para a compra das passagens. Tínhamos que ir direto no nosso ônibus e tudo estava escrito em armênio. E você já viu o alfabeto armênio? Pois é! Lá fui eu tentar desvendar letra por letra…

Onibus para Khor Virap

Não encontramos ninguém que falasse inglês, mas perguntamos a algumas pessoas do jeito que dava e pelo menos pudemos confirmar que esse ônibus aí em cima ia mesmo para Khor Virap. Claro que éramos os únicos turistas. Apareceram pessoas oferecendo táxi, mas já estávamos espertos, lembram? Para que gastar mais do que o necessário? Íamos de ônibus mesmo!

Onibus para Khor Virap

Bom, vocês já viram o estado do ônibus, né? E ele estava lotado! Eu consegui sentar, mas o Eduardo teve que viajar em pé. Além de haver muita gente, de repente embarcaram umas mulheres, provavelmente vendedoras de rua, com um monte de carrinhos e sacolas que elas espalharam por todo canto. Não sobrou espaço nem para colocar os pés no chão!

Onibus para Khor Virap

Nós não somos muito frescos e eram apenas 30 quilômetros de Yerevan até Khor Virap. Dava para encarar de boa e no mínimo a experiência nos renderia uma boa história para contar. Só vimos que tínhamos entrado numa roubada mesmo quando chegamos a Khor Virap. Quer dizer, nem chegamos. Ainda bem que o senhor que estava sentado ao nosso lado imaginou que nós, turistas, queríamos visitar o mosteiro e pediu para o motorista parar quando estávamos chegando lá. Passaríamos reto! E só quando descemos é que descobrimos que o õnibus não ia até o santuário, mas apenas até a entrada na rodovia. Lá estava ele, o lindo Mosteiro de Khor Virap, mas a um quilômetro e meio de distância.

Estrada para Khor Virap

A caminhada nem era assim tão desagradável, afinal, tínhamos uma vista fantástica do Mosteiro de Khor Virap com o Monte Ararat ao fundo. Na verdade o caminho é o lugar perfeito para as melhores fotos. O problema é que estávamos preocupados pensando se conseguiríamos voltar para Yerevan. Teríamos que pegar o ônibus de volta no meio da estrada e sem nem conseguir ler as placas em armênio como saberíamos para qual acenar? Que hora ele passaria? E se estivesse lotado? Que fria! Eu sou otimista, imaginei que em último caso alguém no mosteiro poderia nos ajudar a chamar um táxi, mas o Eduardo já ficou imaginando o pior e assim nem curtimos a paisagem direito.

Mosteiro de Khor Virap e o Monte Ararat

Chegando lá, uma surpresa: estava havendo um casamento! Ufa! Mesmo que ninguém falasse inglês, não estaríamos perdidos no meio do nada sem uma alma caridosa para nos ajudar a voltar para Yerevan. E também havia alguns taxistas na entrada do mosteiro. Eu imagino que eles só estavam lá por causa do casamento, pois não faria sentido estarem esperando algum visitante que faria apenas o caminho de volta, né? Mas como só estivemos lá nesse dia, não posso confirmar.

Casamento em Khor Virap

Arredores de Khor Virap

Mais tranquilos sabendo que não teríamos que enfrentar os 30 quilômetros de volta a Yerevan a pé, pudemos relaxar e curtir o passeio. Por causa do casamento, só demos uma olhadinha rápida na igreja. Mas ficamos de olho na cerimônia, claro, para não correr o risco de sermos os últimos a sair de lá!

Khor Virap

Khor VirapKhor Virap

O Mosteiro de Khor Virap é um dos lugares mais sagrados da Armênia, destino de peregrinos que vão até lá para ver a cela em que o cristão São Gregório, o Iluminador, ficou preso por 12 anos (12, 13 ou 14 anos, as informações variam). São Gregório foi tirado de lá para curar o rei Tirídates III, que tinha ficado louco. Ele o curou e acabou se tornando seu mentor, conquistando sua confiança e sua fé. E foi assim que a Armênia se tornou o primeiro país do mundo a adotar o cristianismo como religião oficial, no ano 301. É possível visitar a cela, mas nós não o fizemos. A igreja  principal, Surp Astvatsatsin, data do século XVII.

Surp Astvatsatsin

Mosteiro de Khor Virap

Na verdade não estávamos tão interessados na parte sagrada do Mosteiro de Khor Virap. Nós queríamos mesmo era ver o Monte Ararat! A imagem do mosteiro com o Monte Ararat ao fundo é emblemática e estampa diversos cartões-postais da Armênia. Khor Virap está localizado a poucos metros da fronteira da Armênia com a Turquia e é o ponto armênio mais próximo do Monte Ararat. Mas só é possível avistá-lo assim, de longe, já que a fronteira está fechada. Me surpreendo sempre ao pensar que o principal símbolo armênio está em solo turco.

Mosteiro de Khor Virap e o Monte Ararat

Monte Ararat e a fronteita Turquia-Armênia

Eu queria ter melhores dotes fotográficos para ter conseguido registrar a beleza da planície do Ararat em Khor Virap. Não consegui tirar fotos muito boas. Um fotógrafo de verdade com certeza teria tirado fotos maravilhosas, mesmo com as nuvens que teimavam a se misturar com os picos do Monte Ararat. Mas acho que mesmo minhas fotos capengas são capazes de te convencer que vale a pena conhecer o Mosteiro de Khor Virap. Só deixo uma dica: vá de táxi! =)

Monte Ararat

Monte Ararat

Pagamos 400 dram por pessoa pela passagem de ônibus de Yerevan a Khor Virap e 5 mil dram pelo táxi de volta, em abril de 2015. Pelo que pesquisei, um táxi de ida e volta para Khor Virap a partir de Yerevan sai por 10 mil dram ou menos. Outra boa ideia é acrescentar o Mosteiro de Noravank ao roteiro. Várias agências de Yerevan oferecem o passeio, que costuma incluir também Jermu e Areni. Para visitar apenas o Mosteiro de Khor Virap, acho que o táxi de ida e volta é mesmo a melhor opção.

Fontes das informações históricas: Guia Lonely Planet e Wikipédia.

Veja todos os posts sobre a Armênia no Viaggiando!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Continue Viaggiando:

4 Comments

  1. Lindas fotos Camila, que aventura! Você não lembrou do “Burning Orchards”? Eu fico revoltada, quando penso que o Monte Ararat está na Turquia!

    • Camila Navarro

      O tempo todo, Ana! Até porque foi por causa desse livro que surgiu minha vontade de ir à Armênia! E a vontade de conhecer Van?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *