Uma volta ao mundo dos livros

0 Flares 0 Flares ×

Volta ao mundo dos livrosMeu amor pelos livros já é público. Quem me conhece  sabe que minhas duas maiores paixões são literatura e viagens. Além de ser um ótimo lazer, sempre defendi que ler é também uma das melhores formas de se conhecer uma cultura diferente, mesmo que à distância. Já contei aqui como o contato com os autores russos  despertaram meu desejo de conhecer o país. Já falei também que a leitura foi a grande responsável pela minha ânsia de conhecer o mundo. As páginas de um livro me transportam imediatamente ao seu cenário e eu fico tentada a conferir se aquela imagem que eu criei corresponde à realidade. É por isso que antes de qualquer viagem eu tento ler um pouco sobre o lugar que irei visitar, assim eu já vou me familiarizando com a cultura local. Agora, por exemplo, enquanto me preparo para um viagem ao Sudeste Asiático, já me sinto ligada ao povo cambojano após ter me emocionado com a história de uma sobrevivente do genocídio promovido no país pelo regime do Khmer Vermelho.

Imaginem minha empolgação quando fui apresentada ao site  A Year of Reading the World (“Um ano para ler o mundo”, em tradução tosca livre), da escritora inglesa Ann Morgan (obrigada de novo, Emília!). Seu projeto era ambicioso: ler um livro de cada país do mundo em um ano. E ela conseguiu! Foram 196 livros lidos durante o ano de 2012! Eu fiquei simplesmente fascinada pela história e desde ontem não consigo pensar em outra coisa. A idéia de conhecer todos os países do mundo através da leitura é atraente demais para ser descartada. E é por isso que eu resolvi embarcar nesse projeto.

É claro que terei que fazer algumas adaptações. Para mim seria impossível ler tantos livros em apenas um ano. Meu recorde até hoje foram 46 livros e isso na época da faculdade, quando eu tinha muito menos obrigações e muito mais tempo livre. Hoje, trabalhando 8 horas por dia e cuidando de casa, cachorro, blog e tudo mais, só sobra tempo para ler mesmo antes de dormir. Não sei nem se eu conseguiria estabelecer um prazo para esse projeto que, acima de tudo, tem que ser prazeroso.

A tarefa não é fácil. Ter acesso a livros de cada um dos quase 200 países do mundo, mesmo com a internet, pode ser mais difícil do que parece. Ann Morgan destacou a dificuldade de encontrar alguns exemplares ou mesmo de descobrir uma estrutura editorial estabelecida em certos países (leia aqui e aqui, em inglês). Nem sempre os livros são traduzidos e divulgados pelo mundo e em alguns lugares as histórias ainda são repassadas principalmente oralmente. Ela contou com a ajuda de voluntários e até de autores que lhe enviaram suas obras traduzidas, mas ainda não publicadas. Nesse ponto, vai ser tudo muito mais fácil para mim, já que posso contar com a experiência dela quando me encontrar sem saídas. Além disso, eu não estou limitada aos livros escritos ou traduzidos para o inglês. Acrescentando o português e o espanhol na lista de ofertas o leque já aumenta, né?

Descobri um outro site com uma proposta parecida, o Reading the World. Esse projeto é ainda mais ousado, pois tem como meta ler livros de 270 destinos. Isso porque alguns países, como China e Rússia, por serem maiores, foram divididos em regiões. Só que ele é também mais plausível, pois não prevê um prazo para acabar. A leitura começou em 2009 e ainda está em andamento. Até agora já foram lidos 102 livros de 94 países. O legal é que essa viagem segue uma ordem. Os países são escolhidos como se fosse em uma viagem de verdade. Ele não pula de um país a outro sem que haja uma conexão verdadeira entre eles, por terra, ar ou mar. Além de ser mais uma fonte de inspiração, será também mais uma fonte de pesquisa para quando eu sentir dificuldades em descobrir livros de algum lugar.

Comprar todos esses livros também deve me dar algum trabalho. Mesmo com a facilidade dos livros digitais hoje em dia, imagino que muitos autores não sejam conhecidos e comercializados mundialmente. Mas não vou me preocupar com isso agora. Vou lidar com os problemas à medida em que eles aparecerem, para não desanimar.

Ainda vou pensar nas regrinhas desse meu projeto, mas já decidi pelo menos como vai ser definida a sequência de países: por sorteio! Quem nunca sonhou em escolher assim, aleatoriamente, o destino de uma viagem? Pois eu já estou até ansiosa para saber qual vai ser meu primeiro país!*

Já decidi também que não vou levar em conta os livros que li até hoje. Até que eles dariam uma adiantada boa no projeto, pois já li livros de pelo menos 25 países, mas acho que não é uma boa idéia. Há livros que eu li ainda adolescente e dos quais nem me lembraria mais caso não anotasse o nome de todos os livros que leio. Sem contar que vai ser bom matar a saudade dos escritores russos e franceses no meio do caminho, mas vou tentar pelo menos conhecer novos autores, o que já vai ser uma grande descoberta. Além disso, como eu tenho o costume de ler mais livros clássicos, vou tentar também explorar um pouco a literatura contemporânea.

Minha lista vai ter 198 países: os 193 membros da ONU, seus dois estados-observadores (Palestina e Vaticano) e Kosovo, Taiwan e Saara Ocidental, que não são reconhecidos por ela. E por que eu os estou reconhecendo? Porque será uma chance de aprender mais sobre eles e, quem sabe, poder formar minha própria opinião sobre o assunto. E porque assim vou ter mais três livros para ler! 😉

A própria definição do objeto de leitura é complicada. O que seria um livro brasileiro? É o que fala sobre o Brasil? O que foi publicado aqui? Basta que o autor tenha nascido no Brasil para ser um escritor brasileiro? Ele precisa morar aqui? Seria uma combinação desses fatores? Depende do caso? Pois eu vou tentar, sempre que possível, ler livros de autores locais e que retratem de alguma forma a cultura ou a história do país. Não faria muito sentido ler Lolita na vez da Rússia, por exemplo.

Fiquei na dúvida se deveria publicar esse assunto aqui ou se deveria criar um outro blog, mas, pensando bem, o projeto não foge do assunto do Viaggiando, né? Pensei em fazer uma resenha dos livros lidos, mas ainda não sei se é melhor fazer um post para cada livro/país ou se devo publicar um resumo mensal, por exemplo. E aí, o que vocês acham? Aceito pitacos não só sobre a forma de publicação, mas sobre todo o projeto. É claro que isso tudo vai acontecer paralelamente aos posts sobre as viagens. Ah! E nem preciso dizer que vou querer muitas dicas de leitura , né?

Nos próximos dias vou criar uma página no blog** com todas as informações do projeto, mas ele já tem data para começar: 01/08/2013 25/07/2013. A viagem vai acontecer sem eu sair do sofá, mas eu juro que estou com um friozinho na barriga como se eu fosse mesmo pegar um avião! O conhecimento que vem dos livros é imensurável, então imaginem como vai ser ter contato com a literatura de todo o mundo! Tenho certeza de que eu não serei mais a mesma quando esse projeto acabar, seja lá quando for. Mas uma coisa é certa: essa vai ser uma das maiores viagens da minha vida! Uma volta ao mundo dos livros!

*E o primeiro país já foi sorteado. Tive sorte, porque não vai ser difícil encontrar livros de lá. Meu primeiro destino é: República Tcheca!

**A página do projeto também já está no ar: A volta ao mundo em 198 livros!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Continue Viaggiando:

92 Comments

  1. Luciana Betenson

    Acho demais a ideia! Acho que eu escolheria apenas um livro de cada país… e não limitaria livros que já li. Se achar que eles são o que há de representativo do país, leria novamente 🙂 Difícil pensar no Brasil, por ser um país com tantos contrastes, mas certamente minha lista brasileira teria Jorge Amado e Érico Veríssimo. Beijos!

    • Lu, acho que os livros que já li podem entrar no páreo sim! Até porque alguns eu li há mais de 10 anos e já nem me lembo mais. Sem contar que em momentos diferentes da vida a gente “sente” o livro também de forma diferente, né? Também não sei o que escolheria para representar o Brasil. Ainda não li Érico Veríssimo (já vou incluir nas opções!), mas com certeza Jorge Amado seria uma das minhas primeiras indicações!

  2. Menina, eu já tinha achado a ideia do site incrível, agora adorei ainda mais a sua! que “exciting” viajar de um país ao próximo por sorteio!!! Vou acompanhar tudinho por aqui 😉

  3. Renata Inforzato

    Adorei a ideia também… Vou acompanhar e pegar umas boas dicas com você. beijão!

  4. Renata Inforzato

    Ah, na minha opinião, eu colocaria um post por país. É mais difícil, mas também é gostoso, um desafio a longo prazo. beijão

  5. Lu Malheiros

    Camila,
    Adorei a ideia! Dei uma olhada na lista dela e, se não me engano, ela leu “A casa dos budas ditosos”. Gosto do João Ubaldo, mas fiquei com pena do livro, digamos, “representar o Brasil”. Estou curiosa para saber como você vai fazer a escolha dos títulos!
    Vou ficar de olho nos próximos posts. Bjs

    • Lu, eu nunca li João Ubaldo, mas imagino que ele não seja o livro que melhor representaria o Brasil. Essa escolha é tão difícil, né? Principalmente quando a gente não sabe nada sobre a literatura de determinado país. Mas é também uma descoberta incrível e eu vou adorar aprender mais sobre cada cantinho desse mundo através dessa descoberta!

    • Emília Fernandes

      Lu, também fui direto e achei bem fraca como primeira indicação. Mas…acho que a lista vale como começo de pesquisa para cada país.
      Acho que a da Camila vai dar um banho 😉

    • Carla Portilho

      Mas ela fez alguma restrição em termos de período histórico? Acho engraçado alguém não escolher Machado de Assis para representar o Brasil… Ao mesmo tempo, fico feliz que não tenha sido Paulo Coelho!!!

  6. HeloRighetto

    que demais, Camila! um projeto realmente incrível – vou adorar ler sobre essas viagens aqui!

  7. Que legal Camila! Vou ficar de olho por aqui. Livros sempre inspiraram minhas viagens. Bjs

  8. Jackeline_e_Romulo

    Amei a idéia! Vou ficar de olho, quem sabe consigo fazer algo inspirado? Estou super feliz pq esse ano retomei a leitura, que ficou parada nos ultimos anos por causa do MBA e dps mestrado. Esse ano já li 5 livros e tô felizona (e pensar que na época de colégio lia 5 por mês rs). Aproveito pra indicar uma leitura do Mexico: Festa no Covil, é contemporâneo e curitnho, quase um conto, então vai ser bom pro teu projeto =)
    bjs,

    • Jackie, comparar nossas leituras na época de colégio/faculdade com agora é até covardia! Também leio bem menos. Apesar de estar sempre com um livro na cabeceira, o ritmo é bem menos intenso. Obrigada pela dica! Já tá anotada!

  9. Karine Marselle

    Ótimo projeto! Boa leitura e viagem! 🙂 A idéia do sorteio é muito boa, fica mais emocionante.
    (voto em um post por livro)
    Teve um ano que só li autores de países que não fossem de lingua inglesa e conheci: o Sandor Marai da Hungria, o Yasunari Kawabata do Japão, Isaac Bashevis SInger (que é polonês), Carlos Ruiz Zafon (espanhol), Martin Page (francês), Slavoj Zizek (esloveno), e alguns outros que não lembro agora.

    Esse ano li O Museu da Inocência do Orhan Pamuk, e acho um excelente representante da Turquia.

    • Que delícia, Karine! Um monte de dicas para eu ir colecionando! Sabe que eu já até comprei O Museu da Inocência há um tempo? Ele tava lá no kindle esperando a vez dele e eu já tinha mesmo pensado que ele seria uma ótima opção para a Turquia. Bom saber que você concorda! Agora eu estou torcendo para a Turquia ser sorteada logo, pois vou a Istambul em novembro! 😉

  10. Camila Torres

    Que coincidência! Tô lendo um livro do Kafka neste momento, “O Processo”. Mas acho que não se encaixa na sua descrição, porque a história não se passa em uma cidade real.
    Qual foi este livro do Khmer Vermelho que você leu? Também tô arrumando as malas pra lá. 🙂
    Boa sorte no projeto!

    • Camila, o livro se chama “First They Killed My Father”. Acho que não tem tradução para o português. Eu fiquei realmente tocada pela história! Vale a pena ler antes de ir para entender como as pessoas foram afetadas pelo Khmer Vermelho. É triste, mas é lindo!

  11. Marcelo Jesus

    Camila,

    achei fantástica a ideia, sou apaixonado por livros e, como você, não consigo hoje ler como gostaria (meu recorde histórico foram as férias de julho de 1986, li 13 livros durante o mês…). Me lembro que aos 11, 12 anos de idade, no amigo secreto de natal da família, na lista de presentes que gostaríamos de ganhar, eu marcava livros. Volta ao mundo em 80 dias, que li lá pelos 11, me fez procurar nos mapas o roteiro do sr. Fogg… Enfim.

    Acredito que quem ama livros automaticamente considera outros apaixonados por eles como irmãos-de-letra (ao invés de irmão-de-leite), então me permitirei alguns palpites, supondo esta irmandade…

    – Toda viagem pressupõe escolhas, com a sua “jornada” não será diferente, lógico, cada país tem muita particularidade (pense na Catalunha e no País Basco, em tese, tudo Espanha…), então tudo isso no fundo é apenas mais um molho no tempero!

    – Sensacional a escolha do “destino” por sorteio!

    – Publique uma página por “destino”, fica mais bacana para quem vai te acompanhar na viagem! Considere divulgar qual será o livro do destino sorteado, isso pode te angariar “companheiros de viagem” que se disponham a ler o mesmo livro no mesmo período…

    – Ao ler o seu texto imediatamente me lembrei de algumas indicações, que tomo a liberdade de te passar:

    Colômbia: “A ausência que seremos”, de Héctor Abad – filho narra a história do pai assassinado por dissidentes, misturando a história do pai e do país, a partir de um poema encontrado no bolso do pai depois de sua morte.

    China: duas indicações, “A montanha e o rio”, de Da Chen – um general chinês tem dois filhos mais ou menos ao mesmo tempo, um legítimo e o outro não, o livro narra a trajetória destes dois irmãos ao longo do século XX com as transformações da China neste período. “Cisnes Selvagens”, de Jung Chang – conta a história da própria autora, sua mãe e sua avó, as diferenças da vida destas três mulheres ao longo do século XX, a avó sequer tinha nome, a mãe viveu a revolução cultural…

    Espanha: “A sombra do vento”, de Carlos Ruiz Zafon – seguramente um dos melhores livros que li na vida, impossível não se impactar com a descrição de Zafon sobre Barcelona e pela ideia do cemitério dos livros esquecidos…

    No mais, parabéns pelo projeto! Você tem um torcedor pela empreita aqui no cerrado do país! Vou acompanhar com muito gosto esta “jornada”.

    Com certeza, como você mesma descreveu, ninguém sai de uma verdadeira peregrinação como esta do mesmo jeito que entrou!

    Há uma frase, atribuída ao escritor Mário Quintana, que eu adoro: “Viajar é trocar a roupa da alma”! Bom guarda roupas pra você!

    • Oi, Marcelo!

      Quando a gente é apaixonado por livros, adora encontrar outros viciados, né? E todos os palpites são mais que bem-vindos! 🙂

      Boa idéia divulgar o próximo livro! Só não sei se daria para fazer isso no blog, já que um post para isso seria demais, mas posso publicar no twitter e no facebook. Vou criar uma página estática no blog para o projeto e posso também colocar o nome do livro lá assim que eu escolher! O que acha?

      Obrigada pelas dicas! Vou começar a montar um arquivo com essas indicações de livros, assim, quando chegar a vez desses destinos, eu já vou ter uma boa base de dados!

      Ah! E acho que já escolhi o primeiro livro: Nem Santos Nem Anjos, do Ivan Klíma. Já ouviu falar?

      Um abraço!

      • Marcelo Jesus

        Oi Camila.
        Não ouvi falar do Ivan Klima não, já fiquei curioso!
        Lógico que quando o sorteio deu RepúblicaTcheca vem a mente, automaticamente, Kafka e Kundera. O primeiro conto do Risíveis Amores, do Kundera (chamado “o pomo de ouro do eterno desejo”) eu considero fantástico!
        Bacana criar uma página estática no blog, vai facilitar para a torcida que vai acompanhar!
        Boa sorte com a jornada! Lembrando de algumas outras sugestões vou colocando aqui.
        Abraço!

  12. Que idéia maravilhosa! Adorei, se ainda não escolheu o livro da República Tcheca, recomendo “A insustentável leveza do ser” de Milan Kundera! Muito bom , li recentemente pela segunda vez e viajei bastante colocando no “google” todos os lugares!

    • Ana Luiza, eu já li “A insustentável leveza do ser” sim, mas foi há muitos anos. Acho que eu tinha uns 14 anos e, pra ser sincera, nem me lembro da história mais. Foi o primeiro livro que veio à minha cabeça quando saiu a República Tcheca, mas aí dei uma pesquisada e gostei de um tal “Nem Santos Nem Anjos”, do Ivan Klíma. Conhece?

  13. Emília Fernandes

    Camila, que barato! Quem diria que um retweet iria levar a um projeto…Achei empolgantes as tuas idéias: sorteio, posts…Acho que vou começar a organizar a minha própria viagem por aqui, tenho vários livros que estou ‘enterrando’ aqui (como cachorro enterra osso, sabe? para comer mais tarde), vou me organizar por aqui.
    Ansiosa pelas primeiras notícias aqui, um beijo e aproveite a viagem 😉

    • Emília, eu fiquei realmente fascinada pela idéia, tanto que no mesmo dia decidi começar o meu próprio projeto! Eu também tenho vários livros que ficava adiando e agora vou ter a chance de desenterrar alguns. Obrigada mesmo por ter se lembrado de mim! 🙂

  14. Achei BEM massa o projeto! =) E apesar do que a Camila Torres falou, eu sugiro ler O Processo, sim, porque ele é totalmente a cara da República Tcheca. Eu tentei lê-lo enquanto vivia lá e simplesmente não consegui, porque eu vivia aquilo em todas as minhas relações burocráticas de estrangeiro. Era sufocante. Boa sorte!

    • Gabriel, eu achava que a escolha dos livros seria divertida, mas já vi que vai ser um problemão, viu? No primeiro eu já estou na maior dúvida, querendo ler vários! Já vi que ao final desse projeto minha lista de leitura vai ser infinita! 😉

      • Carla Portilho

        Camila, você vai acabar vivendo o drama que eu vivo quando preciso escolher livros para dar aula… A gente fica buscando o que é mais representativo, e sofre por estar deixando outros livros de fora…

  15. Camila, que ideia maravilhosa! Dei uma lida nos posts da Ann Morgan e também fiquei com uma vontade enorme de me jogar numa viagem como essa. Ando numa fase meio morna com as leituras, escolhendo sempre as mais fáceis, de pura distração, até meio burras mesmo… Mas fiquei instigada a segui-la, quem sabe escolho algo menos ambicioso, fico só na Europa…

    Já vi que você vai começar pela República Tcheca e, se fosse eu, tinha que ler Kundera, porque amo, amo, AMO A Insustentável Leveza do Ser. Também poderia ser A Ignorância. São dois livros dele que mostram bastante da história recente do país (A Ignorância não se passa inteiro em Praga, mas é a história de pessoas que retornam à República Tcheca depois da queda do regime comunista). Mas também vou gostar se você escolher um autor que não conheço, afinal, fugir do óbvio é parte do projeto, né?

    Vou deixar uma dica que me lembrei imediatamente ao pensar nesse projeto: quando chegar a vez da Albânia, leia Abril Despedaçado, de Ismail Kadaré. Quando li, me deu a exata sensação de conhecer os segredos desse povo tão antigo e fechado, misterioso para os próprios albaneses que vivem nas cidades (um pouco) mais cosmopolitas. Sem falar que o livro também narra uma viagem!

    Ah, e do Brasil, acho que eu escolheria Guimarães Rosa. A Hora e a Vez de Augusto Matraga já bastaria para ilustrar o espírito do brasileiro.

    • Vamos nessa, Wanessa? Faz como eu, sem data para acabar, assim não tem pressão! E só a Europa já rende uma viagem literária maravilhosa, né?

      Kundera e Kafka foram minhas primeiras opções, mas estou mesmo tentando fugir do óbvio. Só que é difícil, viu?

      Adorei sua dica! Já está anotada!

  16. Polliana Ribeiro

    Amei a ideia!! 🙂
    Desejo perseverança no projeto.

  17. Fenomenal a idéia! Vou acompanhar com certeza! Delícia total viajar assim!

    Vc já pensou em “evoluir” essa idéia pra um clube de leituras? Algo tipo, vc faz o sorteio, avisa e quem quiser lê livros daquele país sorteado e todo mundo posta a resenha? (Já tô viajando na maionese, é isso mesmo, produção?) 😀

    Mas eu vou sugerir mais uma coisa ainda… que tal incluir como “países” na sua regra também alguns dos territórios/protetorados, como Nova Caledônia, Ilhas Cook, etc.? Porque eles possuem uma cultura e história tão diferente dos países que os conquistaram… Seria uma derivação do conceito de “regiões”.

    Parabéns demais pelo projeto!

    • Lucia, eu vou divulgar o país assim que fizer o sorteio e também o livro que eu escolher para ler, atualizando a página do blog e pelo twitter . Esse primeiro está mais enrolado (até agora não bati o martelo!), mas acho que quando o projeto começar para valer vai acontecer uma dinâmica legal.

      A lista de países pode ser ampliada sim! Eu defini a lista inicial porque precisava de um ponto de partida (e de um número finito! rsrs), mas as “regras” não são imutáveis. Ao longo dessa brincadeira eu acho que vou aprender muita coisa e talvez algumas idéias iniciais sejam modificadas. Vamos ver onde isso vai parar! 😉

      • Gostei da ideia da Lúcia! Nesse primeiro destino, vou acompanhar você, Camila, porque fiquei com muita vontade de reler Kundera (ou ler mais alguma coisa dele). Pra mim, ler em inglês ainda é um trabalho, não um prazer, o que inviabiliza que em “visite” alguns destinos, mas vou seguindo enquanto for viável. Dia 01.08, começo!

      • Pronto, Camila, é oficial. Vou seguir seus sorteios, publicar posts… Vamos ver até onde vou com isso!
        http://cadernosdeviagem.wordpress.com/2013/07/24/projeto-a-volta-ao-mundo-em-198-livros/

        • Eba, Wanessa!!! Vai ser um prazer ter sua companhia nessa viagem! E, mesmo que a gente não percorra o caminho todo juntas, a gente vai se esbarrando por esse mundão! 🙂

          • Carla Portilho

            Camila, eu sei que estou arrumando sarna pra me coçar… Mas acabo de me tocar que no mês de agosto eu vou estar relativamente de férias – viajo com o marido uma semaninha e depois tenho que preparar os cursos do 2o. semestre, mas não tenho que dar aulas…

            Sabe o que isso quer dizer? Que a louca da literatura aqui acaba de comprar o Nem Santos Nem Anjos pra te acompanhar nessa primeira etapa da viagem, rsrsrs…

  18. Natasha Schiebel Brotto

    A ideia é sensacional. Vou acompanhar e com certeza pegar ótimas dicas de leitura. 🙂

  19. Demais!!! Amei tanto a ideia que vim te visitar aqui … fazia taaaanto tempo que eu não passava pelo viaggiando que já estava até me sentindo mal! (serio mesmo) Quero dizer, eu visito sempre pelo feed… mas não é a mesma coisa do que uma visita assim mais pessoal né?! 🙂
    Vai ser uma delícia acompanhar sua viagem literária… quisera eu ter tempo pra ler tantos livros também, hoje em dia comemoro quando consigo terminar um livro (depois de mesesss!). Mas vou anotando os títulos e quem sabe tenho sorte com alguns deles.
    Beijão, amei matar um pouquinho das saudades xx

    • Cris, eu te entendo, viu? Também acompanho os blogs sempre pelo feed e só entro mesmo nas páginas quando vou comentar. Em alguns, como o NPLH, até valia a pena entrar sempre, porque ele é tão lindo!

      Ainda bem que eu inventei de começar esse projeto agora, né? Mas daqui a pouco o Theo já vai ser um mocinho e você volta a ter tempo para ler mais! 😉

      Beijos!

      • Oohhh, obrigada querida! Precisamos voltar a dar uma atençãozinha ao NPLH né. Tanta história pra contar ainda… tanta foto pra divulgar e layout novo pra fazer. =)

        Siiimmm, quando o Theo for adolescente e quiser me ver bem longe eu entro numa trip dessas como a sua! heheh

        Estava aqui pensando que esse seu projeto pode fazer tanto sucesso que você pode até conseguir que as pessoas te mandem os livros que você não encontrar pro Kindle. Se precisar de algum daqui da NZ pode dizer!!

        Beijinhos xx

  20. Celia Regina Bocci da Silva

    Camila,
    Ideia sensacional!
    Vou acompanhar, curtir e pegar suas dicas!
    Beijo.
    Célia (@regina26)

  21. Carla Portilho

    Camila, devo dizer que quase morro de inveja… 😉 Eu adoraria embarcar em um projeto desses, mas hoje em dia praticamente não consigo tempo para ler por lazer. Como professora de literatura, e orientando pós-graduação, não sou mais muito dona das minhas escolhas de leitura – são tantos textos, tanto literários quanto críticos, para ler para as aulas e dissertações que nos momentos de lazer eu fico só nas revistas e blogs…

    Isso posto, te deixo algumas sugestões. Quando chegar no Canadá, te sugiro ler Margaret Atwood – ela é apaixonante! E, se sortear o Zimbábue, leia Alexander McCall Smith – ele é de origem escocesa, mas nascido no Zimbábue quando ainda era colônia britânica.

    Se quiser trocar ideias, conte comigo. Vou acompanhar esse projeto de pertinho! 😀

    • Carla, vou adorar ter as dicas de uma professora de literatura como você! Já estou anotando tudo, mas serão tantos destinos diferentes que eu imagino que vou precisar pedir ajuda muitas vezes! 😉

      • Carla Portilho

        Já vi que eu vou me empolgar aqui… Por Angola, não deixe de ler o Pepetela – Jaime Bunda, Agente Secreto é divertidíssimo! No Peru, a escolha mais óbvia é Mario Vargas Llosa, mas eu te recomendo Alonso Cueto, A Hora Azul, que foi publicado em português. E o Michael Ondaatje, autor de O Paciente Inglês, é nascido no Sri Lanka e escreveu um romance maravilhoso ambientado lá, chamado Anil’s Ghost. Ah, e qualquer coisa do J.M. Coetzee é a cara da África do Sul!

        • Tô achando que você já fez essa viagem pelo mundo dos livros e não contou pra gente! rsrs

          • Carla Portilho

            Rsrsrs… Até eu comecei a achar isso agora, porque fico me lembrando de vários livros de países diferentes… Fiquei até menos frustrada por não poder me jogar de cabeça no projeto!

            Mas repara só que o meu campo de sugestões é meio limitado… Tem muita coisa de literaturas de língua inglesa (mesmo que produzida nas ex-colônias), e só um pouquinho de literatura hispanoamericana e portuguesa/africana – fruto dos cursos que escolhi na época do mestrado e do doutorado…

            Então, só pra ir atiçando as vontades, me lembrei de mais algumas coisas bem legais. Na Nigéria, Things Fall Apart, do Chinua Achebe, é tudo; por Antigua, eu te recomendaria a Jamaica Kincaid, que a Ann Morgan também leu, mas um livro diferente, A Small Place. Se em Portugal você quiser fugir dos óbvios José Saramago e Eça de Queirós, me lembro de um romance sensacional que li no finzinho da faculdade: Bolor, do Augusto Abelaira.

            Ainda vou puxar um monte de coisas do fundo do baú, Camila… Conforme eu for lembrando te passo, Ok? Espero que te ajude nas pesquisas na hora de escolher os livros!

            • Tô adorando suas dicas! O problema é que você vai falando e eu já vou querendo ler todos! hehe

              Eu também não era tão restrita nas minhas leituras como a a Ann Morgan disse que era, mas acabava ficando mais centrada na Europa, América Latina e muito pouco da Ásia. Acho que nunca li um autor africano, por exemplo. Fiquei até meio decepcionada quando saiu a República Tcheca (Europa? Muito fácil!), mas vai chegar a vez de todos! 😉

              • Carla Portilho

                Eu acho que você vai amar ler a África!!! Olha, a UFF, a universidade onde eu trabalho, é bem vanguarda em termos de literatura – pra você ter ideia, temos no mestrado cursos de literaturas africanas de língua portuguesa, de literaturas francófonas na África e no Caribe, é um barato… Isso significa que posso ir coletando dicas pra você conforme os países forem sendo sorteados, ou até mesmo antes… Vou ficar de olho nas ementas dos cursos que vão começar agora no 2o. semestre, e te repasso o que puder te interessar!

                Mas é interessante que nós, apenas por sermos brasileiros, já estamos um passo adiante de um leitor europeu (ou americano), como a Ann Morgan… Somos mais “cosmopolitas”, de certo modo – afinal, já não moramos no centro do mundo, né? A nossa cultura, pra eles, já é “exótica”… 😉

                Eu estava lendo, hoje cedo, sobre o périplo dela para conseguir a tradução de uma obra de São Tomé para o inglês… Esse problema você já não vai ter, rsrsrs…

                • Carla, ela reclamou dessa dificuldade de conseguir traduções de livros em português e acho que espanhol também, então minha tarefa vai ser bem mais fácil!

  22. Jodrian Freitas

    Excelente idéia! Fazemos algumas resenhas de livros no Aventura Mango, principalmente associados a viagens de aventuras. Seu projeto merece destaque!!
    Grande abraço

    • Obrigada, Jodrian! Eu sempre quis falar mais sobre livros aqui no Viaggiando, mas não sabia como fazer isso sem misturar os assuntos. Acho que agora encontrei a receita perfeita! 🙂

  23. Sensacional! Mais a sua cara impossível! Se precisar de algum livro em inglês, pode contar comigo para enviá-lo aqui da França. Acho que vou poder te indicar algo sobre a palestina tb. Quando chegar a hora, nos falamos. Sobre os posts, acho que vc deveria fazer um para cada livro. Estou louca pra acompanhar a sua aventura! Sei que vou pegar muitas boas dicas com vc!!!

  24. Marina Vidigal

    Oi Camila,
    Tudo bem?
    Que ideia SENSACIONAL! Amei o projeto e vou tentar embarcar contigo, posso?
    Vou tentar ler livros diferentes dos seus e agente pode ir trocando figurinha pelo caminho :O). Se você topar, também entro na dança e coloco um post introdutório no meu blog: ideiasnamala.com
    Acho que com o mestrado provavelmente meu ritmo de leitura será diferente do seu, mas vou tentar mesmo assim!!! O bom é que não tem prazo para acabar, certo?!
    Beijos e parabéns pelo projeto.
    Mari Vidigal

    • Marina, claro que “pode”! Eu mesma me inspirei em outra pessoa (Ann Morgan, que cito no post) e adaptei para criar meu próprio projeto, então você pode criar o seu também, da forma que achar melhor! Se animar mesmo, me avisa para eu acompanhar seus posts, hein? Beijos!

      • Marina Vidigal

        Oi Camila,v
        Não resisti e já comecei a ler… como nunca tinha lido nada do Kafka acabei não resistindo e fui direto ao óbvio… estou lendo “The trial” (que você provavelmente já leu, eu sempre quis ler e sua ideia me deu o empurrão que faltava) e enquanto isso espero pelo novo sorteio do próximo país.

        Beijos

  25. Tiago dos Reis

    Concordo com a Mirelle. É a sua cara esse projeto!! Que MASSA!!!
    Só agora eu fui entender aquela foto dos papeizinhos no instagram com o nome dos países. Mas aí não vale a dica do Equador pra São Tomé e Princípe, porque, apesar de se passar lá, é de um autor português (ou isso vale?).

    Fico imaginando como deve ser difícil escolher os livros. Só pelas sugestões do pessoal sobre a República Tcheca já dá pra sentir a enorme indecisão que deve vir por aí. 🙂
    E tô com a Lu Betenson: minha lista brasileira COM CERTEZA teria Jorge Amado e Érico Veríssimo, além de Guimarães Rosa. A trilogia “O Tempo e o Vento”, do autor gaúcho, é um verdadeiro tratado de antropologia desse povo. Imperdível!
    Confesso que fiquei com uma doce inveja desse seu projeto, viu? Tenho estado tão distante da literatura nos últimos meses. Quem sabe um dia eu também não animo?
    Boa sorte na jornada. E é claro que eu vou acompanhar tudo por aqui!

    • Tiago, eu já estou sentindo como vai ser difícil a escolha dos livros. Agora, por exemplo, eu queria ler pelo menos uns 3 livros da República Tcheca! Como eu já li Guimarães Rosa e Jorge Amado, talvez Érico Veríssimo seja um bom candidato, já que nunca li um livro dele. Não que eu não possa repetir um autor, mas essa experiência pode ser boa para dar uma reciclada e conhecer coisas novas, né? Quanto aos autores nacionais, essa regra não é imutável, ou melhor, nenhuma regra é. Dependendo dos motivos, posso abrir uma exceção. 😉

  26. Tatiane Dias

    Como eu adorei a ideia! Queria ter tempo pra fazer isso, mas estudando pra concurso fica difícil.

    Vou acompanhar o projeto e quando os meus dias difíceis passarem, quem sabe eu não me inspiro.

    • Tatiane, eu já fui concurseira, sei como é… rsrs Sabe que eu não parei de ler enquanto estudava? Lia pouco, claro, mas tentava sempre ler um pouquinho para limpar a cabeça das matérias chatas. Mas sei que tem gente que quando chega à noite não quer nem ouvir mais falar de livros, de qualquer tipo. 😉

  27. Camila, deixei seu post separado para ler com calma quando saiu e olha só quantos comentários! Que demais! A idéia é realmente fantástica!! Me sinto mal por ler tão poucos livros e esse seu projeto me incentivou a voltar a ativa! rs Muito difícil fazer algo parecido com o que você irá fazer mas já estou separando alguns livros de literatura de viagem mesmo, como um das cartas de viagem de Henry James e outro do Paul Theroux.Se tiver mais indicações de outros nesse estilo me fala! 🙂
    Boa sorte nessa nova viagem! 🙂 bjus!

    • Acabei de clicar no post que vcs e as meninas fizeram da blogagem coletiva ano passado e já vi pelo menos mais uns 2 do Paul Theroux para ler! kk! Olha a lista crescendo!

    • Guta, você viu só? Eu até me assustei com a repercussão! Espero corresponder às expectativas e descobrir muitos livros e autores legais para compartilhar aqui!

      Eu ia mesmo falar pra você olhar os posts da blogagem coletiva! E não só o meu, mas os das meninas também! Algumas delas também falaram sobre literatura de viagem.

      Beijos!

  28. Muito legal Camila! Ja to pra comentar faz tempo! Acho que o assunto tem a ver com viagens sim! eu tb tenho esse assunto no meu blog e apoio! acho legal um post sobre cada livro! beijao e dica, nao se cobre, vai lendo.. e publicando quando der, se virar muita cobranca cansa e estressa, deixa de ser prazeroso ler e publicar! beijos! Melissa

    • Melissa, eu também já falei sobre livros algumas vezes aqui, mas agora a frequência vai ser bem maior, né? Quanto à cobrança, acho que vai ser mesmo como você falou. O blog para mim já é um prazer e só consigo postar quando estou inspirada. E esse projeto vai continuar assim, sem estresse! 🙂 Beijos!

  29. Laura B Engsten

    Adorei a idéia! Fiquei até inspirada! Quando chegar a vez da Suécia me avise! Vou acompanhar os posts para pegar algumas dicas!

  30. Karina Gomes

    Excelente projeto! Uma otima ideia para incentivar o habito da leitura, vou acompanhar aqui e pegar umas dicas.Quando chegar a Turquia, recomendo um livro que estou lendo agora e e super venerado pelos turcos, My name is red, de Orhan Pamuk. O nome original e Benim Adın Kırmızı. O pouco que li dele gostei bastante.

    • Karina, eu acabei de ler Istambul, do Orhan Pamuk, logo antes de começar esse projeto! Já comprei também O Museu da Inocência e, caso a Turquia não seja sorteada até minha viagem, acho que vou ter que trapacear. rsrs

      • Karina Gomes

        Hahahaha se for por uma boa causa vale a pena trapacear 🙂
        Eu queria acompanhar essa viagem ao mundo dos livros, mas conseguir livros em portugues aqui e dificil, mesmo ebooks. E depois de trabalhar em ingles o dia todo, o que mais quero e relaxar um pouco no nosso bom portugues.

  31. Célia (@regina26)

    Camila,
    Desculpe por ter demorado tanto pra comentar. Mas queria te dizer que esse seu projeto é sensacional, e que estou acompanhando ele livro a livro! Beijo enorme!

  32. Celia Regina Bocci da Silva

    Camila,
    Desculpe a demora em comentar, mas queria te dizer que achei sensacional seu projeto e que estou acompanhando livro a livro! Beijo enorme. Célia (@regina26)

  33. Muito bacana o projeto. Vou acompanhar de perto!
    Fiquei com vontadinha de fazer algo assim também, mas tô numa fase de leitura técnica, por causa de uma pós. Mas quem sabe um dia, não embarco nessa também… 🙂

    • Ana, quando quiser descansar a cabeça das leituras técnicas, é só dar uma passadinha aqui e escolher um livro de algum lugar do mundo para relaxar. 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *