O Castelo de Trakai, na Lituânia

0 Flares 0 Flares ×

A Lituânia nunca fez parte dos meus planos de viagem e muito menos constava no roteiro inicial de minha primeira viagem à Europa. Eu não sabia nada sobre o país e tampouco conhecia motivos para visitá-lo, mas foi só até eu ver uma foto de Trakai! A imagem de um castelo de tijolinhos vermelhos e torres pontiagudas no meio de um lago parecia digna de um conto de fadas. Então, mesmo com o tempo reduzido em Vilnius, pensamos que uma visita ao cenário do castelo seria o passeio ideal para um domingo ensolarado.

Enquanto esperávamos nosso trem na estação de Vilnius praticamente vazia, chegamos a pensar que o destino era pouco procurado. Poucas pessoas embarcaram conosco no trem das 12h30. É possível ir também de ônibus, mas achamos que o trajeto ferroviário seria mais prático e interessante.

Estação de Trem em Vilnius

Pouco mais de meia hora depois chegamos a Trakai e vimos que tínhamos escolhido a data certa! O passeio é típico não apenas para os turistas estrangeiros. É para lá que muitos lituanos vão para aproveitar os dias de verão. A pequena cidade, antiga capital da Lituânia, a apenas 28 km da atual capital, fica lotada nos fins de semana.

Trakai

Trakai

Trakai

Descemos na estação e seguimos o fluxo de pessoas até nos localizarmos no mapa. Trakai é pequena e cercada por três lagos, o que torna a locomoção por lá bem fácil e agradável. Caminhamos por cerca de 2 km entre os lagos Luka e Totoriškių até chegar à Ilha do Castelo, no lago Galvė.

O castelo foi o que nos atraiu a Trakai, mas quando ficamos frente a frente com ele nos contentamos em ficar do lado de fora. Já tínhamos visitado um castelo do mesmo período (século XIII) na Letônia apenas dois dias antes e  ficamos com um pouco de preguiça de ver mais do mesmo. Os últimos destinos de uma viagem acabam ficando prejudicados, né? Mas fica aqui registrado que dentro do castelo há o Museu Histórico de Trakai!

Castelo de Trakai

Castelo de TrakaiCastelo de Trakai

Castelo de Trakai

Visitando ou não o museu, Trakai vale a pena! De qualquer forma, o castelo é no mínimo um lindo “detalhe” na paisagem. Nós entramos no clima dos frequentadores locais, demos a volta no castelo e encontramos um lugarzinho na sombra à beira do lago perfeito para um piquenique. Pena que não tínhamos levado um lanchinho.

Trakai

Trakai

Trakai

Ou melhor, ainda bem que não tínhamos levado nada para comer, pois nossa excursão tinha ainda um outro propósito: experimentar o kibinai, um prato tradicional caraíta. O Caraísmo é uma ramificação do judaísmo que hoje possui poucos seguidores no mundo. Os primeiros caraítas chegaram a Trakai ainda no século XIII, vindos da Crimeia para compor a guarda-real. Hoje os caraítas são a menor minoria étnica da Lituânia, com menos de 300 pessoas, sendo que cerca de 60 delas vivem em Trakai.

Para experimentar a comida típica caraíta, escolhemos o restaurante mais famoso, o Kibininė. Andamos um bocado para na volta descobrir que havia um barraquinha do restaurante ao lado do castelo! Pelo menos a caminhada nos rendeu mais algumas fotos da ilha em diferentes ângulos!

Mas vamos ao que interessa: a comida! Eu pedi o kibinai vegetariano. Gostei bastante, mas o sabor não é nada exótico. Lembra bastante as empanadas sul-americanas. O Eduardo experimentou o cepelinai, uma espécie de bolinho de batata recheado de carne, o prato mais  famoso da Lituânia. O restaurante estava lotado, mas conseguimos uma mesa e fizemos nossa refeição com calma, enquanto muitas pessoas compravam os kebinais para viagem em uma janelinha ao lado do restaurante.

Kibinai

Cepelinai

Depois do almoço começamos nosso caminho de volta, diferente da ida para explorar um pouco mais a península. Ainda na avenida principal, a Karaimų gatvė, observamos as casas caraítas, sempre com três janelas voltadas para a rua. Há ainda o Museu Etnográfico Caraíta, que nós não conhecemos porque não sabíamos quanto tempo levaríamos para chegar à estação e preferimos não arriscar.

Casas caraítas em Trakai

Casa caraíta em Trakai

Museu Etnográfico Caraíta

Passamos pelas ruínas do Castelo da Península, construído entre 1362 e 1382 e destruído seis séculos depois. Apenas uma torre foi reconstruída e uma pequena parte do muro de pedra ainda está de pé.

Castelo da Península

Castelo da Península

Entramos por ruas e trilhas secundárias ao lado do Lago Luka  e a partir dali não encontramos mais turistas. Eles foram apenas até a ponte flutuante ao lado das ruínas do castelo.  As partes de madeira da ponte ficam em cima de tonéis de latão e balançam quando andamos sobre elas. É interessante!

Ponte flutuante em Trakai

Ponte flutuante em Trakai

Depois seguimos sozinhos. Passamos em frente a algumas casas de moradores, vimos crianças jogando futebol e muitas, muitas paisagens de tirar o fôlego. A tranquilidade dentro e fora d’água era tanta que o lago se transformava em um espelho. Talvez essa tenha sido a melhor parte do passeio. Fugir do trajeto convencional foi a melhor coisa que fizemos!

Trakai

Trakai

TrakaiTrakai

Trakai

TrakaiTrakai

Trakai

Nosso trem partiria às 19h17, mas ficamos com medo de perdê-lo e acabamos chegando à estação bem antes da hora. Não foi uma boa ideia! A região estava completamente vazia e a estação ainda estava fechada. Sentamos em um banquinho na rua lateral e ficamos esperando o tempo passar. E aí tivemos uma das poucas experiências estranhas em toda a viagem. De repente apareceu um cara de bicicleta e nos abordou. Não entendemos o que ele disse, mas ele ficou olhando para a mochila que estava comigo, na qual eu guardei a câmera assim que percebi que ele se aproximava. Apertei bem a mochila, o Eduardo disse alguma coisa e ele se afastou. Achamos que seríamos assaltados e é claro que na hora só pensei nas fotos que perderíamos!

Saímos de lá e fomos para a estação de ônibus, onde já havia algumas pessoas. Vimos que o cara de bicicleta continuou rondando a região, andando de um lado para outro. Com certeza ele não estava bem intencionado. Felizmente não aconteceu nada e fomos embora sãos e salvos. Mas fica a dica! A região da estação fica completamente deserta fora dos horários de chegada e partida dos trens. Trakai é uma graça e em geral é bem segura, mas alguns dias na Europa nos deixam um pouco relaxados. É melhor não vacilar!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Continue Viaggiando:

16 Comments

  1. Carolina Rodrigues

    Adorei conhecer Trakai através deste seu relato Camila! Nunca tinha ouvido falar de tal lugar. E que friozinho na barriga com este cara da bicicleta hein?

  2. Mirellesiqueira

    eu vi um programa de TV aqui e mostrava Trakai. Na hora ja fiquei com vontade de conhecer, mas o seu post me convenceu de vez.

  3. Camila só pelo seu blog para conhecer a Lituânia! Post cheio de informações culturais e nunca tinha ouvido falar de Trakai…adorei conhecer (com ou sem pessoas mal intencionadas – o que tem no mundo inteiro, infelizmente…)

    • Guta, Trakai e todos os outros lugares pelos quais passamos durante a viagem pareciam tão seguros que nós acabamos relaxando um pouco. Mas felizmente não aconteceu nada para estragar nosso passeio. Trouxemos só lembranças boas da Lituânia!

  4. Já que andavas por essas bandas, não custava nada dar uma esticadinha em Trakai, não é???
    Pelas suas fotos, achei tudo lindo!

  5. Tássia Corina

    Olá Camila,
    Adorei conhecer um pouquinho mais da Lituânia pelo seu blog! Nunca coloquei esse destino nos meus planejamentos, mas depois de ver suas fotos, fiquei encantada! Que lugar lindo!
    Também adorei a dica de comida vegetariana!
    Abs
    Tássia Corina
    http://www.comospesnomundo.com

  6. EU ESTIVE EM TRAKAI, ACHEI LINDO , MARAVILHOSO, ANDEI POR DENTRO CONHECI O MUSEUM E ATÉ HOJE AS FORMATURAS TODAS SÃO FEITAS NO CASTELO. TRAKAI FOI UMA DAS TANTAS CIDADES QUE CONHECI NOS PAISES BÁLTICOS,ESPERO VOLTAR DE NOVO, ME TRNAPORTEI A MINHA INFANCIA.
    EU RECOMENDO VALE MUITO CONHECER

  7. Thiago Oliveira

    Camila, tô adorando ler seus relatos sobre os países bálticos, Estou morando na Hungria por 1 ano e quero muito conhecer esses lugares! Mas como estou na Europa pra estudos, a grana aperta um pouco e por isso pretendo economizar na viagem. Você poderia me dizer quantos euros custou a passagem de trem pra Trakai? Parabéns pelo blog! Favoritei!!

    • Thiago, eu fiz essa viagem há quase 3 anos, então os valores que eu tenho estão desatualizados. Pagamos na moeda local e na época, convertendo, custou uns R$ 10. Acho que o preço dessa passagem não deveria ser uma preocupação.

      • Thiago Oliveira

        Entendo, é que estou tentando planejar bem esta viagem e Trakai com certeza vai estar dentro do roteiro. E mais uma dúvida, você cogitou visitar Minsk na Bielorrússia?
        Obrigado pela informação.

        • Em Minsk até que eu não pensei, mas em vários outros destinos na região sim. É assim em qualquer viagem, né? Saber priorizar e não querer conhecer tudo numa viagem é que é difícil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *