Cordisburgo: terra de Guimarães Rosa e da Gruta do Maquiné

0 Flares 0 Flares ×

CordisburgoNos finais de semana em Belo Horizonte, só fica parado quem quiser. Além das atrações culturais que aumentam e se renovam a cada dia na cidade, num raio de cerca de 100 quilômetros há dezenas de passeios que cabem perfeitamente em dois dias ou num bate e volta. Eu tenho uma lista de lugares que quero conhecer desde que me mudei para cá, há pouco mais de um ano. No início do mês resolvemos ir a um deles. Fomos a Cordisburgo, uma cidadezinha cujo nome peculiar acaba tornando-a conhecida.

Cordisburgo fica a 120 quilômetros de Belo Horizonte. Ela é pequenina, tem menos de 10 mil habitantes. Foi até estranho sair da confusão do trânsito de BH e logo encontrar ruas praticamente desertas. Crianças andavam de bicicleta na rua, pessoas caminhavam sem pressa. O ritmo da vida por lá é outro e isso se refletiu na gentileza e na paciência dos cordisburguenses na hora de nos receber.

Cordisburgo - Capela Patriarca São José

Antiga estação ferroviária de Cordisburgo

Andar por lá é muito fácil, pois, além de a cidade ser pequena, suas atrações são bem sinalizadas. Cordisburgo é terra de Guimarães Rosa, autor do meu livro brasileiro preferido, Grande Sertão: Veredas. Foi a história de um dos mais importantes escritores mineiros que aguçou minha vontade de ir até lá. As referências a ele estão por todo canto e vão dos nomes das lojas aos 95 marcos territoriais que sinalizam locais citados em suas obras.

Portal Grande Sertão - Cordisburgo

Placa na saída de Cordisburgo

Mas as homenagens ao escritor não param por aí! Para completar, há o Museu Casa Guimarães Rosa, instalado na casa em que ele nasceu, em 1908, e viveu até os 9 anos de idade. O museu é pequeno, mas seu acervo é rico. Alguns cômodos da casa original foram recriados, como a cozinha, a venda e o quarto da avó de Guimarães Rosa, mas o que impressiona mesmo é o acervo dedicado aos seus romances. Ver os rascunhos de suas obras rabiscados a mão e sentir as histórias ganharem vida através de mapas e fotos foi emocionante!

Museu Casa Guimarães Rosa

Museu Casa Guimarães RosaMuseu Casa Guimarães Rosa

Museu Casa Guimarães Rosa

Museu Casa Guimarães Rosa

Museu Casa Guimarães Rosa

De Guimarães Rosa, li apenas Grande Sertão: Veredas, um livro com linguagem difícil, do qual muita gente desiste ainda no início. Eu sempre digo para insistirem, pois logo o universo sertanejo nos envolve, a leitura flui e Riobaldo e Diadorim ficam marcados em nossa memória, mas o Museu Casa Guimarães Rosa é bom até mesmo para quem nunca leu uma linha do autor. A estrutura é convidativa, o acervo é interessante e até os banheiros do museu são indicados de forma poética! O museu abre de terça a domingo, das 9h às 17h. A entrada custa R$ 2,00 (em fevereiro de 2014).

Museu Casa Guimarães Rosa - Banheiro MasculinoMuseu Casa Guimarães Rosa - Banheiro Feminino

Museu Casa Guimarães Rosa - Quintal

Se você ainda acha que não tem motivos suficientes para ir a Cordisburgo, espere até ver sua próxima atração: a Gruta do Maquiné. De cara eu já fiquei impressionada com sua estrutura. Na entrada, ao lado da bilheteria, fica o Museu da Gruta do Maquiné, inaugurado há menos de um ano. O museu é moderno, interativo e tem alguns ambientes voltados especialmente para crianças.

Museu da Gruta do Maquiné

Museu da Gruta do Maquiné

Museu da Gruta do Maquiné

Museu da Gruta do Maquiné

Seguimos então para a atração principal, a famosa Gruta do Maquiné, que recebeu esse nome por causa do fazendeiro que a “descobriu”, em 1825, o Sr. Joaquim Maria Maquiné. Mas foi o naturalista dinamarquês Peter Lund que uma década depois descobriu seu verdadeiro valor, que ia além das belezas naturais e representava também registros da vida pré-histórica na região. Seu trabalho em Cordisburgo, Lagoa Santa e Sete Lagoas foi tão notável que o circuito turístico da região hoje recebe seu nome: Rota das Grutas Peter Lund.

Reserve agora seu hotel em Sete Lagoas, a melhor base para explorar o circuito das grutas.

Gruta do Maquiné

Gruta do Maquiné

As visitas à Gruta do Maquiné são guiadas. Fomos em um sábado à tarde e nosso grupo não era grande. Éramos umas 10 pessoas, além do guia, e foi um passeio bem tranquilo. A gruta tem cerca de 650 metros de extensão, mas apenas 400 metros são abertos à visitação. O trajeto é todo iluminado, há pouco desnível e há passarelas nos lugares em que  acesso seria mais difícil, mas não há corrimão, então pode ser um pouco complicado para pessoas com dificuldade de locomoção. E nem é preciso dizer que o ideal é usar um sapato confortável, né?

Gruta do Maquiné

Gruta do Maquiné

Quanto à gruta em si, nem vou tentar explicar os detalhes geológicos, simplesmente porque eu não entendo nada do assunto mesmo. Mal consigo diferenciar estalactites de estalagmites! Então, em vez de tentar dar uma de entendida, vou deixar as fotos falarem por si só!

Gruta do MaquinéGruta do Maquiné

Gruta do Maquiné

Gruta do MaquinéGruta do Maquiné

Gruta do Maquiné

Mas a verdade é que não há imagens capazes de representar a Gruta do Maquiné. Além de eu não ser uma fotógrafa profissional e de o ambiente escuro não ajudar, acho que nenhuma câmera conseguiria captar a magnitude da gruta, a amplitude de seus salões e colunas e o jogo de cores e brilhos que existe nas pedras. E não é preciso entender do assunto para apreciar essas maravilhas da natureza!

Gruta do Maquiné

Gruta do Maquiné

Gruta do Maquiné

Gruta do Maquiné

Os guias do passeio são moradores da região. O que nos conduziu era visivelmente apaixonado pela Gruta do Maquiné. Ele trabalha lá há mais de 20 anos e deu para sentir que o local faz parte de sua vida. Ele nos contou com saudade sobre a época em que a gruta ficava alagava formando lagoas temporárias que funcionam como espelhos. Hoje as pequenas lagoas que existem lá são alimentadas artificialmente, pois há muito tempo a chuva não é mais capaz de provocar tal fenômeno.

Gruta do Maquiné

Gruta do MaquinéGruta do Maquiné

Gruta do Maquiné

Gruta do MaquinéGruta do MaquinéGruta do Maquiné

Gruta do Maquiné

A visita à Gruta do Maquiné dura quase uma hora e está disponível todos os dias das 8h às 16h. A entrada custa R$ 16,00 (valor em fevereiro de 2014) e inclui o acesso ao Museu da Gruta do Maquiné. A estrutura inclui estacionamento, lanchonete, banheiros e bebedouros. Fiquei realmente surpresa e satisfeita com a qualidade do serviço oferecido! Consulte informações atualizadas no site da Gruta do Maquiné.

Uma dica é estar lá na hora do almoço para aproveitar o Restaurante Chero’s, que fica logo em frente à bilheteria da gruta. É uma chance de experimentar a comida e a hospitalidade mineiras pagando pouco. A refeição (em fevereiro de 2014) custa R$ 17,00 por pessoa e inclui arroz, salada, feijão tropeiro e uma opção de carne. E é à vontade! A comida é servida na mesa, mas você pode pedir reposição do que quiser. Só não sei se é preciso, pois é tudo muito bem servido. O prato mais famoso da casa é o frango ao molho pardo. Eu não posso dizer nada sobre ele, afinal, fiquei só no ovo frito, mas o Eduardo e minha sogra disseram que era muito bom! E o atendimento foi excelente! Para completar, as mesas da varanda dão direito a uma vista linda da mata da região. A única coisa ruim é não aceitarem cartão na hora do pagamento.

Restaurante Chero's - Cordisburgo

Restaurante Chero's - Cordisburgo

Restaurante Chero's - Cordisburgo

Restaurante Chero's - Cordisburgo

Depois disso tudo, quem é capaz dizer que Cordisburgo não vale a pena? Quem já foi pode voltar para conhecer as novidades e quem ainda não foi agora já sabe o que está perdendo! 😉

O post contém links para programas de afiliados. Leia a política de monetização do Viaggiando.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Continue Viaggiando:

27 Comments

  1. Que lindo, Camila! Adoro Cordisburgo. Meu pai morou lá um tempo e quando pequena eu adorava visitar a Gruta de Maquiné. Preciso voltar pra ver as novidades e o Museu de Guimarães Rosa, que não conheço.

    Quando quiser continuar o circuito das grutas, recomendo demais a Gruta do Rei do Mato, em Sete Lagoas. Minha família é de lá e eu tb visitava muito esse local. Oportunidade pra visitar a cidade e as lagoas da Boa Vista, Lagoa Paulino e a Serra de Santa Helena. Na ida ou na volta, a depender dos horários que fizer, almoçar no Restaurante Engenho, no caminho. Hummmm saudades!

    • Adriane, nós até passamos pela Rei do Mato no dia, mas não saímos de BH muito cedo, então não deu para fazer tudo. Já estamos planejando terminar o circuito Lund indo a Lagoa Santa e Sete Lagoas. É tão pertinho que é só acordar e ir! E a dica do Restaurante Engenho já tá anotada! Vou me programar para estar lá na hora do almoço! 🙂

  2. Andreia Neves

    Camila, tudo bme? gostaria de uma ajuda! vou ficar praticamente 2 dias inteiros( sexta e sabado) em julho em Belo Horizonte. Será minha primeira vez, não conheço nada. Vou com meu marido e 2 filhos de 4 anos cada. Por enquanto só tenho planos de ir ao ZOO. Vc pode me dar umas dicas de onde vale a penas ir, considerando que tenho pouco tempo? outra duvida é sobre o hotel, vc pode me indicar um bom hotel? como vou com crianças gostaria de um hotel bom, confortavel, com um bom café da manhã. Se puder também me indicar restaurantes imperdiveis de culinaria local, agradeço muito! meu email; neves_andreia@hotmail.com

    • Andreia, eu só posso opinar sobre a localização dos hotéis, já que não fico hospedada aqui… Recomendo que você fique em Lourdes no na Savassi/Funcionário. Use a Praça da Liberdade como referência, quanto mais perto dela, melhor! O zoológico fica na Pampulha, então você já aproveita para conhecer as atrações por lá. O Mercado Central também é parada obrigatória dos turistas por aqui, assim como os museus da Praça da Liberdade. Do Mirante do Mangabeiras você tem uma vista boa da cidade e lá pertinho tem a Praça do Papa, onde sempre há muitas crianças. Dê uma olhadinha nos meus posts sobre BH para ver ter mais algumas idéias: https://www.viaggiando.com.br/search/label/Minas%20Gerais%20-%20Belo%20Horizonte

  3. Patrícia Rosendo

    Que maravilha você compartilhar isso. Adorei!!! Sou pesquisadora em Guimarães Rosa, estou me organizando pra ir em Cordisburgo em julho quando acontecerá a Semana Roseana. Você sabe me informar sobre pousadas e hotéis lá na cidade? Agradeço e parabéns pela matéria.

    • Patrícia, não sei se você conseguirá se hospedar em Cordisburgo mesmo. A cidade é bem pequenininha e, por ser próxima de BH, muita gente faz só bate e volta. Eu vi placas de um hotel no caminho, mas não tenho nenhuma referência dele. É o Maquiné Park Hotel. Parece que fica a menos de 30 km da cidade.

  4. Luiz Eugênio

    Parabéns Camila. Muito interessante e atrativo o seu blog. Sou escoteiro e faremos um acampamento com o grupo no próximo mês de julho. Estamos planejando as atividades e as suas informações aqui nos serviram bastante. Valeu.

  5. Maria Aparecida Reis Campos

    Sou de São Paulo, como eu faço para chegar nessa cidade, posso ir de avião até BH ou há outro caminho mais fácil?

    • Maria, o jeito mais fácil seria vir de avião até BH mesmo. Se você estiver pensando em alugar um carro pode ir direto do aeroporto para Cordisburgo, pois Confins fica no caminho.

  6. beatrizbibi20145

    eu irei la sabado para excuçao espero que seja bem divertido

  7. Ual…..Demais….Suas dicas foram fabulosas…Estarei indo a BH no final do mês e já incluir Cordisburgo no roteiro…obrigada!!

  8. Reginia Maria Silva Nunes

    Muito show, parabéns

  9. Marcia Maria Guimarães

    vou fazer uma excursão para congnhas, ouro preto e Mariana, sairemos do Rio de Janeiro, é possível irmos a gruta de maquiné em que momento

    • Marcia, a Gruta de Maquiné fica em Cordisburgo, ao norte de Belo Horizonte. São cerca de 200 km de lá a Ouro Preto. Se vocês foram apenas até a região de Ouro Preto não é possível conjugar os passeios numa mesma viagem. Se vierem a Belo Horizonte, a Gruta de Maquiné é um passeio tranquilo de se fazer em um único dia.

  10. Boas dicas como sempre!! :)!

  11. Apenas uma dica com relação a restaurante: caso não possa comer no Chero’s, devido à limitação de lá não aceitar cartão, almoce no Sarapalha, que fica a dois quarteirões do Museu do Guimarães Rosa. A comida é saborosa, típica culinária mineira, há várias opções no self-service (que é sem balança), sobremesas caseiras e um ambiente bem agradável, com paredes cheias de reproduções de trechos de obras de Guimarães Rosa. Cuidado apenas na quantidade de comida a servir, pois a comida é um pouquinho pesada, assim como toda comida tipicamente mineira.

    • Camila Navarro

      Obrigada pela dica, Amanda! Vou experimentar na próxima vez que for a Cordisburgo!

  12. Lindo site, Camila, parabéns!
    Eu e meu marido fomos a Minas pela primeira vez há 4 anos e foi amor à primeira visita. Todos os anos, no mês de férias, procuramos, procuramos, e acabamos sempre em Minas…meu sonho é morar aí, agora é só escolher onde, né? Somos bichos do mato, amamos interior, e isso tem DEMAIS!!!
    Você visitou a Gruta da Lapinha? Eu, por incrível que pareça, gostei mais do que a Gruta do Maquiné…pegamos um guia tão bacana, que acho que fez a diferença…e Cordisburgo…que encanto! Ir ao Museu do Guimarães Rosa e ver adolescentes declamando passagens de livros dele…é emocionante!
    E em todo o lugar, placas com frases de livros! Lindo!
    Obrigada por compartilhar suas impressões conosco.

    • Camila Navarro

      Oi, Michela! Já fui à Gruta da Lapinha sim, mas estou devendo o post. Nem sei dizer de qual gostei mais, cada gruta tem um diferencial, né? Cordisburgo também foi emocionante para mim. Espero que você escolha um cantinho em Minas para chamar de seu. =)

  13. Camila quando voltar a Cordisburgo, venha conhecer o nosso restaurante! Vai ser um prazer receber vocês por aqui !

  14. Vanda Pinheiro

    Oi Camila Navarro, sou do Rio de Janeiro e apaixonada por MG. Posso dizer que conheço mais do que o próprio RJ. Talvez porque minha irmã mora há 30 anos em Contagem e nunca deixo de conhecer uma “nova” cidade. Ouvi falar muitas vezes de Cordisburgo por causa de Guimarães Rosa, é claro, mas não com tanta riqueza de detalhes. Será meu próximo passeio com certeza. Obrigada.

    • Camila Navarro

      Que bom saber que te inspirei a conhecer Cordisburgo! É um passeio muito legal, especialmente para os fãs de Guimarães Rosa. Aposto que você irá gostar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *