198 Livros: Estados Unidos – Homem em Queda

0 Flares 0 Flares ×

198 Livros: Estados UnidosEu só soube mais tarde. Estava cursando o segundo período de Engenharia Elétrica, mas a faculdade estava em greve e eu passava longas férias na casa da minha mãe no interior de Goiás. Não tínhamos internet em casa e o twitter ainda não existia para me deixar sempre atualizada. Naquela época ainda dependíamos da televisão para ter notícias recentes. À tarde fui à casa da minha amiga Maisa e quando ela e a mãe comentaram algo sobre o ocorrido eu não entendi nada. Lembro que na hora ela até me zoou: “Como assim você não está sabendo? Com uma nova guerra mundial prestes a estourar?”

Assim como eu, imagino que todos se lembrem do que estavam fazendo em 11 de setembro de 2001. Para a maioria de nós é apenas uma lembrança passageira, um assunto que volta à tona todos os anos, mas por milhares de pessoas essa data nunca será esquecida. Especialmente aquelas que se encontravam nas Torres Gêmeas no momento em que elas foram atacadas ou que eram próximas das quase 3 mil pessoas que lá morreram. É esse o tema de Homem em Queda, livro do escritor norte-americano Don DeLillo.

Homem em Queda traz a história de Keith, um sobrevivente do atentado. Ele trabalhava numa das Torres Gêmeas no momento do ataque. Ao lado de centenas de pessoas, ele desce as escadas sem saber o que está acontecendo. O horror que acaba de vivenciar o leva a caminhar, totalmente em choque, até a casa de sua ex-mulher. Ele chega carregando uma pasta que encontrou entre os escombros. Lianne não tem coragem de mandá-lo embora. O 11 de setembro alterou a vida de todos, é uma sorte que Keith esteja vivo, que importância têm agora as mágoas do passado?

Homem em Queda - Don DeLillo

Nenhum deles sabe lidar com o agora, ou melhor, com o mundo com que se depararam  depois do atentado. Keith perdeu amigos que trabalhavam no mesmo prédio, mas parece não saber como encarar essas perdas. Ele se esconde na tarefa de procurar o dono da pasta que levou para casa. E, vejam só, dentro dela havia um CD com uma coletânea de músicas brasileiras! Estaria seu dono vivo ou morto?

Lianne não estava lá, mas como não se impactar e deixar que o assunto domine seu pensamento? As crianças, dentre elas o filho de Lianne e Keith, também não ficam imunes. Apesar de não entenderem exatamente o que aconteceu, investigam o céu em busca de novos aviões assassinos.

“Ela já ouvira falar nele, um artista performático conhecido como Homem em Queda. Ele fizera várias aparições na semana anterior, sem ser anunciado, em diversas partes da cidade, pendurado de uma ou outra estrutura, sempre de cabeça para baixo, de terno e gravata e sapatos finos. Ele evocava, é claro, aqueles momentos cruéis nas torres em chamas em que pessoas caíram ou foram obrigadas a pular.”

O livro é curto e cheio de diálogos que tornam a leitura mais dinâmica, mas eu me demorei um pouco em suas páginas. Havia sempre algo nas entrelinhas, muita a se pensar sobre o que era ou não dito. Quantos assuntos diferentes podem ser explorados a partir do atentado! Medo, relações pessoais, crenças, preconceitos, nacionalismo… Por onde começar?

Não vou mentir, eu esperava mais de Homem em Queda. Eu já tinha ouvido falar maravilhas de Don DeLillo e peguei o livro com muita expectativa, esperando ser impactada por ele. Esse é sempre um erro! Sem contar que foi minha escolha para os Estados Unidos, o país para o qual eu tinha mais opções disponíveis. Mas não foi uma experiência ruim. Para começar, foi a primeira vez que li uma ficção que aborde diretamente o 11 de setembro e só por isso a leitura já valeu a pena. Gostei bastante das diferentes visões do atentado que ele trouxe, que incluem até mesmo terroristas envolvidos.

Não foi tudo que eu esperava, mas com certeza eu leria mais alguma obra de Don DeLillo para tirar a prova. Me indicam alguma? E o que acharam de minha escolha? Será que haveria um livro contemporâneo melhor que esse para representar  os Estados Unidos no projeto? Me digam aí nos comentários!

Homem em Queda foi publicado originalmente em inglês, em 2007, e no mesmo ano em português pela editora Companhia das Letras. A tradução é de Paulo Henriques Britto. O livro está disponível na Amazon.

Saiba mais sobre o Projeto 198 Livros.

O post contém links para programas de afiliados. Leia a política de monetização do Viaggiando.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Continue Viaggiando:

2 Comments

  1. Luiz marcelino

    Não sei se gosta de livros de aventuras de viagens, mas tem um autor chamado David Hatcher Childress com vários livros publicados sobre lugares incomuns para muitos viajantes, em minha um dos melhores lançados por ele opinião é Lost Cities of China, Central Asia & India, li o original em inglês, porém já foi publicado no Brasil mas teve uma tiragem pequena . Este livro inspirou muitas de minhas viagens e ainda inspira , espero para 2018 viajar para alguns países da Ásia Central.
    Um abraço e bom domingo.
    Luiz

    • Camila Navarro

      Não conheço, mas não posso nem ler um livro desses! Já basta o #198livros colocando ideias na minha cabeça! rsrs Ásia Central é um dos meus sonhos de viagem, especialmente o Uzbequistão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *