Páginas

Transporte nos Balcãs

Transporte nos BalcãsA parte mais difícil no planejamento da nossa viagem para os Balcãs foi sem dúvidas o transporte. A logística para conectar todos os pontos de interesse otimizando o tempo gasto em deslocamentos foi super complicada. Esqueça aquela Europa em que você pega o trem e em poucas horas atravessa três países! Muita gente prefere viajar pela região de carro, mas para nós isso costuma ser sinônimo de mais dor de cabeça, por isso fizemos questão de usar transporte público. Alguns trechos eram óbvios e simples, outros a gente encarou na coragem.

198 Livros: Uruguai

198 Livros - Uruguai

Eu queria que a minha leitura do Uruguai fosse especial. É que ele tem um lugarzinho reservado no meu coração. Foi lá que eu pisei pela primeira vez em solo estrangeiro, numa viagem de carro saindo de Uberlândia há 8 anos. Os uruguaios nos receberam tão bem que um tempo depois voltamos. O país tinha mudado. Ele estava mais caro, havia menos carros antigos e mais turistas nas ruas, mas continuava encantador. Muita gente nem imagina que aqui do ladinho há um país tão seguro e um povo tão educado. E ainda por cima

O Mercado Noturno de Luang Prabang

Mercado Noturno de Luang PrabangEu não costumo me arrepender de viajar super leve, só com a bagagem de mão. Não sou consumista, tenho a maior preguiça de fazer compras – aqui ou no exterior - e muita vezes minha mochila volta mais vazia do que  foi. Mas não vou mentir para vocês: a verdade é que eu era assim até conhecer o Mercado Noturno de Luang Prabang! Pela primeira vez, eu considerei a possibilidade de despachar bagagem só para poder trazer mais coisas na mala de mão. Não era só tudo muito barato, era tudo muito lindo! De quantos forros

198 Livros: Suécia

198 Livros - SuéciaEu juro que tentei fugir do estereótipo literatura-nórdica-policial dessa vez. A verdade é que nem sou muito fã de romances policiais. Quer dizer, eu leio esses livros rapidinho e me divirto (devorei a trilogia Millennium, de Stieg Larsson, por exemplo), mas geralmente eles não me marcam, são puro passatempo mesmo. Só que quando se procura um livro da Suécia, da Finlândia, da Noruega é só isso que aparece! É impressionante como essa região se especializou nesse tipo de literatura e exporta best-sellers para o mundo todo. Ainda quero

O que me impede de viajar mais pelo Brasil

Viajar pelo BrasilEu conheço pouco o Brasil. Até hoje só estive em 11 estados brasileiros e mesmo assim passei rapidamente pela maioria deles. Sou apaixonada pelas cidades históricas mineiras, as Cataratas do Iguaçu me impressionaram mais do que eu imaginava, a Amazônia me marcou muito, mas ainda não consegui riscar da minha lista alguns destinos que estão nela há tempos, como os Lençóis Maranhenses ou a Chapada Diamantina, só pra citar dois deles. Acho que a gente tem um patrimônio natural riquíssimo e que a cultura

198 Livros: Cabo Verde

198 Livros - Cabo VerdeMais um país de língua portuguesa! Fico super feliz quando sorteio um deles, mas ao mesmo tempo fico pensando que não restam muitos. Já passaram por aqui Moçambique, AngolaTimor Leste e São Tomé e Príncipe e alguns estão dentre os meus livros preferidos até agora, então a expectativa é sempre grande. Ainda faltam Portugal e Guiné-Bissau e eu tenho certeza de que virão coisas boas daí! Isso sem falar no Brasil, né? Além de ter descoberto uma rica literatura lusófona pouco difundida mundo afora, é uma delícia

O melhor da Savassi

O melhor da SavassiMinha primeira impressão da Savassi não foi das melhores. Eu sempre tinha ouvido falar da Praça da Savassi, mas quando cheguei lá pela primeira vez, há mais de 10 anos, fiquei meio decepcionada. Nem uma praça de verdade ela era! Só quando vim morar em Belo Horizonte é que comecei a entendê-la. Hoje, 2 anos depois, eu já digo que a Savassi é meu bairro preferido da cidade. Num só lugar a gente encontra atrações turísticas, cultura, restaurantes, bares, boates, lojas populares ou descoladas, hotéis, ou seja, tudo o que

Kuala Lumpur em 36 horas

Kuala LumpurKuala Lumpur foi um brinde na nossa viagem pelo Sudeste Asiático, a típica cidade que aparece por causa de uma escala, da mesma forma que aconteceu com Istambul. Por ser um dos maiores hubs da região, Kuala Lumpur acaba entrando no roteiro de muita gente que nem planejava ir à Malásia. O bom é que a cidade consegue se encaixar perfeitamente em estadias curtas, pois tem um transporte público bem eficiente e atrações turísticas relativamente concentradas. Nós tivemos apenas uma tarde e um dia inteiro na

Istambul ainda mais linda

IstambulDepois de três semanas no Sudeste Asiático, estávamos de volta a Istambul em uma rápida parada antes de retornarmos ao Brasil. Seria apenas um dia e o cansaço jogava contra nós. Desembarcamos do voo vindo de Kuala Lumpur por volta das 5h da manhã, com aquela confusão causada pela mudança brusca de fuso horário, e ainda no aeroporto vimos que as coisas tinham mudado por lá. O frio tinha chegado de vez! Antes de pegarmos o metrô, vestimos todas as roupas de frio que tínhamos na bagagem - o que não era grande

198 Livros: Senegal

198 Livros - Senegal

Confesso que quando chegou o pacotinho mirrado em minhas mãos, eu não botei muita fé. Apesar de saber que não se deve julgar um livro pelo tamanho, pensei que aquele exemplar tão fininho provavelmente não me contaria muita coisa. Como é bom a gente se enganar de vez em quando, né? Ele me ensinou muito mais do que eu imaginava! A escritora senegalesa Mariama Bâ foi criada na fé islâmica, mas desde nova começou a criticar a sociedade em que vivia. Inconformada com a desigualdade entre os gêneros, ela lutou

Istambul com um pulinho na Ásia

IstambulEm nosso segundo dia em Istambul São Pedro foi bem mais generoso. Para  nossa surpresa, não havia nada das nuvens pesadas que tinham pairado sobre nossas cabeças no dia anterior. Friozinho gostoso para bater perna, calor sob o sol e céu azul: o clima que eu chamo de perfeito, principalmente durante as viagens. Pena que demoramos a descobrir o tempo lindo que nos aguardava, pois começamos o dia preguiçosamente. Não acordamos muito cedo e saímos do hotel já por volta de meio-dia. Nossa primeira parada, após uma pequena