Páginas

O Templo da Literatura de Hanói

O Templo da Literatura de HanóiEm meio à confusão que impera nas ruas próximas ao Old Quarter de Hanói, o Templo da Literatura é um verdadeiro oásis. Ao atravessar seus portões, a gente sente que entrou em outro mundo. De repente o barulho, a confusão e o trânsito caótico da cidade ficam para trás, não há ninguém te oferecendo tuk-tuk ou querendo te vender passeios. O alívio é imediato. Mesmo com a enorme quantidade de turistas lá dentro, o local consegue ser agradável e silencioso. Há espaço para todos e é possível encontrar cantinhos sossegados para

198 Livros: Holanda

198 Livros - Holanda

Acho que eu já comentei aqui que os países ditos desenvolvidos estão me decepcionando um pouco nessa volta ao mundo dos livros. Geralmente não é por falta de livros bons, mas por falta de livros que se encaixem no projeto. Procuro aqueles que me contem um pouco da cultura local, que me ajudem a entender o país e sua história recente e nesses pontos os livros da Ásia e da África estão saindo na frente. A cultura dos países europeus já é tão disseminada mundo afora que os autores locais não parecem sentir necessidade de

Monte Phousi: para assistir ao pôr do sol em Luang Prabang

Pôr do sol em Luang PrabangQuase toda cidade turística tem aquele lugar que todo mundo diz que é o ideal para se assistir ao pôr do sol. Geralmente é para lá que a maioria das pessoas vai no final do dia e quem planeja garantir uma visão digna de camarote precisa chegar cedo. Em Luang Prabang esse lugar é o Monte Phousi, o ponto mais alto da cidade. Certa dose de disposição é necessária para subir os cerca de 150 metros do morro, pois esses passeios nunca podem ser totalmente fáceis, né? A regra diz que nós temos que chegar lá em cima exaustos para depois

198 Livros: Serra Leoa

198 Livros - Serra Leoa

Está sendo difícil encontrar as palavras certas para falar sobre o livro de Serra Leoa. Como se o passado recente do país não fosse triste o suficiente, ele agora é um dos que mais sofrem com o ebola, junto com Guiné e Libéria. Além das mortes causadas pela doença, Serra Leoa está amargando crises econômicas e de abastecimento por causa dela. Os efeitos a longo prazo ainda são indefinidos, mas quanto mais tempo demorar para o ebola ser controlado, piores serão. O crescimento econômico obtido nos últimos anos pode ser

As cachoeiras de Kuang Si, no Laos

As cachoeiras de Kuang SiHoje o post terá um formato um pouco diferente. Será uma espécie de post fotográfico, pelo menos o início dele. Apesar de eu gostar muito de escrever, é preciso reconhecer que às vezes minhas palavras podem ser desnecessárias. Quando as fotos de um lugar falam por si só, pra que ficar enrolando com aquele papo de a cor da água varia de verde sei lá o que a azul não sei o que lá? ou reparem no contraste das cores da água e da vegetação? Irei poupá-los. Vamos direto ao que interessa! Com vocês, um dos lugares mais lindos

198 Livros: Nigéria

198 Livros - Nigéria

Às vezes eu fico fã de uns autores sem nunca ter lido quaisquer livros deles. Geralmente é por causa de entrevistas, de vídeos, de textos aleatórios publicados na internet. O bom é que até hoje eu não me decepcionei quando chegou a hora de ler um livro desses escritores que eu idealizo. Foi o que aconteceu com Mia Couto, por exemplo. Eu via as opiniões dele sobre diferentes assuntos e ficava morrendo de vontade de ler suas obras, pois alguém como ele só poderia escrever coisas boas. E eu estava certa! Li Terra Sonâmbula quando chegou

De Phnom Penh a Siem Reap de ônibus

Phnom Penh a Siem Reap de ônibusEnquanto eu planejava minha viagem para o Sudeste Asiático, recebi dicas de todos os tipos e às vezes uma desmentia a outra. Dicas geralmente são assim, né? Algumas pessoas me diziam que Phnom Penh não valia a pena, por exemplo, mas segui minha intuição e não me arrependi nem um pouco de ir até lá. Decididos os meus dois destinos no Camboja – Phnom Penh e Siem Reap – faltava fechar o roteiro ligando as duas cidades. Mais uma vez as informações eram desencontradas. Enquanto uns diziam que a viagem de ônibus era

As mulheres e o mundo

Mulheres em IstambulEu achava que estava preparada para o choque cultural na minha viagem ao Sudeste Asiático. Quer dizer, eu havia me preparado para me surpreender, me chocar, pois nunca sabemos como vamos realmente reagir ao nos depararmos com culturas muito diferentes da nossa. Um detalhe para o qual eu me atentei foi em relação às roupas. Eu sabia que no Camboja e no Laos as mulheres usavam roupas mais recatadas, que decotes e saias curtas não eram comuns entre elas e que para entrar nos templos seria de bom tom, ou às vezes

198 Livros: São Cristóvão e Névis

198 Livros - São Cristóvão e NévisQuando li no papelzinho do sorteio o nome São Cristóvão e Névis eu até me assustei. É um país? Eu nem sabia! Logo descobri que a confusão era porque essas duas pequenas ilhas do Caribe são mais conhecidas pelo nome em inglês: Saint Kitts and Nevis. Já imaginei que encontrar um livro do país disponível no Brasil não seria tarefa fácil, mas pelo menos a língua oficial é o inglês, então eu poderia ler algum livro no original. Tive uma agradável surpresa ao descobrir que o livro que a Ann Morgan leu de lá em sua volta ao mundo literária

A vida em Mamirauá

A vida em MamirauáUm dos passeios mais interessantes que fizemos na Reserva Mamirauá foi a visita a uma comunidade local. Cada grupo de turistas pode acabar conhecendo uma comunidade diferente, pois eles fazem uma espécie de rodízio para que todas sejam beneficiadas. Nenhuma delas é muito grande e as pessoas que trabalham na Pousada Uacari vêm de diversas áreas da reserva. Nós visitamos Vila Alencar, onde vivem cerca de 30 famílias. A primeira coisa que nos impressiona ao chegar lá é ver que o homem consegue se adaptar a ambientes

198 Livros: Noruega

198 Livros - Noruega

Não tem jeito, quando se fala de literatura nórdica só aparecem romances policiais! É quase impossível escapar do gênero. Eu até tento, mas acabo tendo que escolher entre livros que contam dramas pessoais e os policiais que poderão me mostrar um pouco mais do país. Aí é que fica mais estranho, porque a gente não associa criminalidade a países como Suécia e Noruega, né? Pelo contrário! Ao lado de Finlândia, Islândia e Dinamarca, eles figuram no ranking dos mais seguros do mundo. Mas o que fazer se na hora de escrever