Páginas

198 Livros: Costa Rica

198 Livros - Costa Rica

Eu só conhecia os fatos mais famosos sobre a Costa Rica: que o país não tem exército, que é um exemplo em sustentabilidade e também famoso pelo ecoturismo. Recentemente o país inovou ao fechar os zoológicos estatais, querendo com isso acabar com a ideia de animais enjaulados. É claro que eu, vegetariana e avessa à exploração animal, aplaudi essa ideia! Tenho muita vontade de conhecer a Costa Rica e só não o fiz ainda porque essa é uma viagem meio cara. Mas voltemos aos livros! Fiquei super feliz quando sorteei o país e tive a

Lago Mamirauá (quase um fotolog)

Lago MamirauáEu já contei que as incursões de canoinha na floresta eram minhas atividades preferida durante nossa estadia na Pousada Uacari, mas se eu tivesse que escolher os momentos mais bonitos daquela semana eles estariam no passeio ao Lago Mamirauá. As paisagens que avistamos nesse dia foram algumas das mais belas que já vi. O horário não poderia ser mais propício: no fim da tarde, quando a gente pôde ir acompanhando a mudança suave das cores refletidas na água. O caminho já foi especial: foi aí que todos pudemos ver o macaco

198 Livros: Gabão

198 Livros - Gabão

Não havia muitas opções de livros do Gabão. Não encontrei nada em português e também nenhum livro digital em inglês, mas o livro que chamou minha atenção estava disponível na Book Depository, então o problema estava resolvido. O engraçado nessa volta ao mundo dos livros é que muitas vezes em que uma única opção de livro se apresenta ela acaba sendo a opção perfeita. Isso aconteceu com o Gabão. Mema, do escritor Daniel Mengara, foi tudo o que eu procuro nesse projeto: uma boa história permeada por aspectos históricos

A fauna de Mamirauá

A fauna de MamirauáMeus momentos preferidos em Mamirauá eram os passeios de canoinha, quando saíamos só dois turistas e o guia para entrar na mata no pequeno barquinho a remo. Como na época da cheia não há nenhum pedaço de terra firme na reserva, essa é a única forma de percorrer a floresta. Nessas horas o grupo se dividia e cada trio seguia por um caminho diferente, garantindo assim mais silêncio e tranquilidade e aumentando a chance de avistarmos os animais. Era quando a gente podia curtir a floresta da forma mais intensa

198 Livros: Coreia do Norte

198 Livros - Coreia do Norte

Eu estava bem ansiosa para ler a Coreia do Norte, afinal, estamos falando de um dos países mais fechados e polêmicos do mundo. É difícil saber o que pensa um cidadão norte-coreano, já que ele não tem acesso aos meios de comunicação como nós temos e não pode ficar xingando os políticos no twitter como a gente faz. É claro que um único livro, que seria a opinião de uma única pessoa, não poderia me dar todas as versões possíveis dessa história. Eu não conseguiria ter ao mesmo tempo a visão de quem é a favor e de quem é contra

13 fatos e impressões aleatórios sobre os Balcãs

Berat - AlbâniaEu costumo ter duas viagens favoritas: a última e a próxima. Como ainda não tenho nenhuma programada para as próximas férias (eu sei, nem eu estou acreditando nisso), a viagem aos Balcãs acaba sendo minha única preferida no momento. Mas não é só por isso. A verdade é que ela foi uma experiência marcante. Foram só três semanas, mas elas foram especiais. Foi uma viagem intensa, cheia de belas paisagens e também de cultura. Foi como dar vida a muita coisa que eu já conhecia pelas páginas dos livros de literatura

198 Livros: Congo

198 Livros - Congo

A maioria dos brasileiros provavelmente nunca ouviu falar de Alain Mabanckou, mas quem se interessa por literatura africana certamente já conhece esse nome. Desde que comecei o #198livros já me deparei com ele várias vezes. Alain Mabanckou é um dos escritores africanos mais famosos atualmente. Ele nasceu em 1966, apenas 6 anos depois de o Congo se tornar independente da França. Suas obras refletem o período pós-colonial e tentam identificar e reforçar a identidade nacional. Ele escreve em francês e mais uma vez

Transporte nos Balcãs

Transporte nos BalcãsA parte mais difícil no planejamento da nossa viagem para os Balcãs foi sem dúvidas o transporte. A logística para conectar todos os pontos de interesse otimizando o tempo gasto em deslocamentos foi super complicada. Esqueça aquela Europa em que você pega o trem e em poucas horas atravessa três países! Muita gente prefere viajar pela região de carro, mas para nós isso costuma ser sinônimo de mais dor de cabeça, por isso fizemos questão de usar transporte público. Alguns trechos eram óbvios e simples, outros a gente encarou na coragem.

198 Livros: Uruguai

198 Livros - Uruguai

Eu queria que a minha leitura do Uruguai fosse especial. É que ele tem um lugarzinho reservado no meu coração. Foi lá que eu pisei pela primeira vez em solo estrangeiro, numa viagem de carro saindo de Uberlândia há 8 anos. Os uruguaios nos receberam tão bem que um tempo depois voltamos. O país tinha mudado. Ele estava mais caro, havia menos carros antigos e mais turistas nas ruas, mas continuava encantador. Muita gente nem imagina que aqui do ladinho há um país tão seguro e um povo tão educado. E ainda por cima

O Mercado Noturno de Luang Prabang

Mercado Noturno de Luang PrabangEu não costumo me arrepender de viajar super leve, só com a bagagem de mão. Não sou consumista, tenho a maior preguiça de fazer compras – aqui ou no exterior - e muita vezes minha mochila volta mais vazia do que  foi. Mas não vou mentir para vocês: a verdade é que eu era assim até conhecer o Mercado Noturno de Luang Prabang! Pela primeira vez, eu considerei a possibilidade de despachar bagagem só para poder trazer mais coisas na mala de mão. Não era só tudo muito barato, era tudo muito lindo! De quantos forros

198 Livros: Suécia

198 Livros - SuéciaEu juro que tentei fugir do estereótipo literatura-nórdica-policial dessa vez. A verdade é que nem sou muito fã de romances policiais. Quer dizer, eu leio esses livros rapidinho e me divirto (devorei a trilogia Millennium, de Stieg Larsson, por exemplo), mas geralmente eles não me marcam, são puro passatempo mesmo. Só que quando se procura um livro da Suécia, da Finlândia, da Noruega é só isso que aparece! É impressionante como essa região se especializou nesse tipo de literatura e exporta best-sellers para o mundo todo. Ainda quero