Páginas

Um dia em Istambul

IstambulAté hoje, um ano depois da minha viagem, eu ainda não escrevi quase nada sobre Istambul simplesmente porque não sabia por onde começar. Ela nem fazia parte do roteiro, mas apareceu como uma parada no meio do caminho para o Sudeste Asiático por ter sido a passagem mais barata que eu encontrei. Nossos poucos dias lá transcorreram quase sem nenhum planejamento. Teríamos apenas dois dias na ida e um na volta e o jet lag seria nosso inimigo em ambos os momentos, então preferi não nos impor nenhuma

198 Livros: Singapura

198 Livros - Singapura Há dois tipos de leitores: os que veem os livros como objetos sagrados que não podem ser maculados e os que brincam com eles e os transformam em peças únicas, imprimindo suas marcas neles. Eu faço parte do primeiro time e por isso nunca tive o costume de fazer marcações ou anotações nos meus livros. Com o kindle tudo mudou. A facilidade de marcar os trechos que me interessavam foi um dos fatores que me fizeram apaixonar rapidamente pelos livros digitais. Quando comecei o #198livros, essas marcações se tornaram

Café e Cultura na Praça da Liberdade

Casa Fiat (9)Todo mundo já sabe que eu sou apaixonada pelo Circuito Cultural Praça da Liberdade. Sou assídua frequentadora e divulgadora do Circuito e acho que ele é o melhor espaço cultural que existe no Brasil hoje. Os antigos prédios administrativos do governo estadual hoje abrigam museus e exposições temporárias de alta qualidade. As entradas são todas gratuitas. Para completar, fica tudo no entorno da linda Praça da Liberdade, um dos lugares mais bonitos de Belo Horizonte (para mim é o mais bonito). Assim fica difícil competir, né?

198 Livros: São Tomé e Príncipe

198 Livros - São Tomé e Príncipe

Minha recente paixão pela literatura lusófona já ficou clara ao longo dessa volta ao mundo dos livros, por isso fiquei bem empolgada quando sorteei São Tomé e Príncipe, mais um país de língua portuguesa. Infelizmente, não é tão fácil encontrar livros de lá no Brasil. Nosso contato cultural com os países africanos em geral parece ser tão escasso. Sei que não encontrei uma boa oferta de livros são-tomenses, mas havia pelo menos um livro publicado aqui que se adequaria bem ao projeto: era Histórias das Gravana, de

A louca Hanói

HanóiAh, Hanói! Louca Hanói! Mesmo agora, quase um ano depois da minha viagem, eu não consigo definir meus sentimentos por essa cidade. É mais ou menos o que aconteceu com La Paz. São lugares que mexeram com todos os meus sentidos. Foram profusões de sons, cores, cheiros e sabores que fizeram com que fosse impossível eu ficar insensível. É tudo muito diferente, fora do padrão. Fora do meu padrão. Sei que em ambas as cidades eu chegava ao fim do dia exausta, mas era aquele cansaço mental, aquela sensação de que não é possível

O Templo da Literatura de Hanói

O Templo da Literatura de HanóiEm meio à confusão que impera nas ruas próximas ao Old Quarter de Hanói, o Templo da Literatura é um verdadeiro oásis. Ao atravessar seus portões, a gente sente que entrou em outro mundo. De repente o barulho, a confusão e o trânsito caótico da cidade ficam para trás, não há ninguém te oferecendo tuk-tuk ou querendo te vender passeios. O alívio é imediato. Mesmo com a enorme quantidade de turistas lá dentro, o local consegue ser agradável e silencioso. Há espaço para todos e é possível encontrar cantinhos sossegados para

198 Livros: Holanda

198 Livros - Holanda

Acho que eu já comentei aqui que os países ditos desenvolvidos estão me decepcionando um pouco nessa volta ao mundo dos livros. Geralmente não é por falta de livros bons, mas por falta de livros que se encaixem no projeto. Procuro aqueles que me contem um pouco da cultura local, que me ajudem a entender o país e sua história recente e nesses pontos os livros da Ásia e da África estão saindo na frente. A cultura dos países europeus já é tão disseminada mundo afora que os autores locais não parecem sentir necessidade de

Monte Phousi: para assistir ao pôr do sol em Luang Prabang

Pôr do sol em Luang PrabangQuase toda cidade turística tem aquele lugar que todo mundo diz que é o ideal para se assistir ao pôr do sol. Geralmente é para lá que a maioria das pessoas vai no final do dia e quem planeja garantir uma visão digna de camarote precisa chegar cedo. Em Luang Prabang esse lugar é o Monte Phousi, o ponto mais alto da cidade. Certa dose de disposição é necessária para subir os cerca de 150 metros do morro, pois esses passeios nunca podem ser totalmente fáceis, né? A regra diz que nós temos que chegar lá em cima exaustos para depois

198 Livros: Serra Leoa

198 Livros - Serra Leoa

Está sendo difícil encontrar as palavras certas para falar sobre o livro de Serra Leoa. Como se o passado recente do país não fosse triste o suficiente, ele agora é um dos que mais sofrem com o ebola, junto com Guiné e Libéria. Além das mortes causadas pela doença, Serra Leoa está amargando crises econômicas e de abastecimento por causa dela. Os efeitos a longo prazo ainda são indefinidos, mas quanto mais tempo demorar para o ebola ser controlado, piores serão. O crescimento econômico obtido nos últimos anos pode ser

As cachoeiras de Kuang Si, no Laos

As cachoeiras de Kuang SiHoje o post terá um formato um pouco diferente. Será uma espécie de post fotográfico, pelo menos o início dele. Apesar de eu gostar muito de escrever, é preciso reconhecer que às vezes minhas palavras podem ser desnecessárias. Quando as fotos de um lugar falam por si só, pra que ficar enrolando com aquele papo de a cor da água varia de verde sei lá o que a azul não sei o que lá? ou reparem no contraste das cores da água e da vegetação? Irei poupá-los. Vamos direto ao que interessa! Com vocês, um dos lugares mais lindos

198 Livros: Nigéria

198 Livros - Nigéria

Às vezes eu fico fã de uns autores sem nunca ter lido quaisquer livros deles. Geralmente é por causa de entrevistas, de vídeos, de textos aleatórios publicados na internet. O bom é que até hoje eu não me decepcionei quando chegou a hora de ler um livro desses escritores que eu idealizo. Foi o que aconteceu com Mia Couto, por exemplo. Eu via as opiniões dele sobre diferentes assuntos e ficava morrendo de vontade de ler suas obras, pois alguém como ele só poderia escrever coisas boas. E eu estava certa! Li Terra Sonâmbula quando chegou