Páginas

As cachoeiras de Kuang Si, no Laos

As cachoeiras de Kuang SiHoje o post terá um formato um pouco diferente. Será uma espécie de post fotográfico, pelo menos o início dele. Apesar de eu gostar muito de escrever, é preciso reconhecer que às vezes minhas palavras podem ser desnecessárias. Quando as fotos de um lugar falam por si só, pra que ficar enrolando com aquele papo de a cor da água varia de verde sei lá o que a azul não sei o que lá? ou reparem no contraste das cores da água e da vegetação? Irei poupá-los. Vamos direto ao que interessa! Com vocês, um dos lugares mais lindos

198 Livros: Nigéria

198 Livros - Nigéria

Às vezes eu fico fã de uns autores sem nunca ter lido quaisquer livros deles. Geralmente é por causa de entrevistas, de vídeos, de textos aleatórios publicados na internet. O bom é que até hoje eu não me decepcionei quando chegou a hora de ler um livro desses escritores que eu idealizo. Foi o que aconteceu com Mia Couto, por exemplo. Eu via as opiniões dele sobre diferentes assuntos e ficava morrendo de vontade de ler suas obras, pois alguém como ele só poderia escrever coisas boas. E eu estava certa! Li Terra Sonâmbula quando chegou

De Phnom Penh a Siem Reap de ônibus

Phnom Penh a Siem Reap de ônibusEnquanto eu planejava minha viagem para o Sudeste Asiático, recebi dicas de todos os tipos e às vezes uma desmentia a outra. Dicas geralmente são assim, né? Algumas pessoas me diziam que Phnom Penh não valia a pena, por exemplo, mas segui minha intuição e não me arrependi nem um pouco de ir até lá. Decididos os meus dois destinos no Camboja – Phnom Penh e Siem Reap – faltava fechar o roteiro ligando as duas cidades. Mais uma vez as informações eram desencontradas. Enquanto uns diziam que a viagem de ônibus era

As mulheres e o mundo

Mulheres em IstambulEu achava que estava preparada para o choque cultural na minha viagem ao Sudeste Asiático. Quer dizer, eu havia me preparado para me surpreender, me chocar, pois nunca sabemos como vamos realmente reagir ao nos depararmos com culturas muito diferentes da nossa. Um detalhe para o qual eu me atentei foi em relação às roupas. Eu sabia que no Camboja e no Laos as mulheres usavam roupas mais recatadas, que decotes e saias curtas não eram comuns entre elas e que para entrar nos templos seria de bom tom, ou às vezes

198 Livros: São Cristóvão e Névis

198 Livros - São Cristóvão e NévisQuando li no papelzinho do sorteio o nome São Cristóvão e Névis eu até me assustei. É um país? Eu nem sabia! Logo descobri que a confusão era porque essas duas pequenas ilhas do Caribe são mais conhecidas pelo nome em inglês: Saint Kitts and Nevis. Já imaginei que encontrar um livro do país disponível no Brasil não seria tarefa fácil, mas pelo menos a língua oficial é o inglês, então eu poderia ler algum livro no original. Tive uma agradável surpresa ao descobrir que o livro que a Ann Morgan leu de lá em sua volta ao mundo literária

A vida em Mamirauá

A vida em MamirauáUm dos passeios mais interessantes que fizemos na Reserva Mamirauá foi a visita a uma comunidade local. Cada grupo de turistas pode acabar conhecendo uma comunidade diferente, pois eles fazem uma espécie de rodízio para que todas sejam beneficiadas. Nenhuma delas é muito grande e as pessoas que trabalham na Pousada Uacari vêm de diversas áreas da reserva. Nós visitamos Vila Alencar, onde vivem cerca de 30 famílias. A primeira coisa que nos impressiona ao chegar lá é ver que o homem consegue se adaptar a ambientes

198 Livros: Noruega

198 Livros - Noruega

Não tem jeito, quando se fala de literatura nórdica só aparecem romances policiais! É quase impossível escapar do gênero. Eu até tento, mas acabo tendo que escolher entre livros que contam dramas pessoais e os policiais que poderão me mostrar um pouco mais do país. Aí é que fica mais estranho, porque a gente não associa criminalidade a países como Suécia e Noruega, né? Pelo contrário! Ao lado de Finlândia, Islândia e Dinamarca, eles figuram no ranking dos mais seguros do mundo. Mas o que fazer se na hora de escrever

Viaggiando nos Balcãs

Ohrid, MacedôniaNenhuma viagem que fiz até hoje despertou tanta curiosidade como a última. E dessa vez as dúvidas não vieram só de pessoas menos viciadas em viagens, mas também de portadores de passaportes bem carimbados. Alguns países da Península Balcânica, como a Grécia e a Turquia, já fazem parte há muito tempo do sonho de consumo dos viajantes. Outros, como Croácia e Montenegro, foram descobertos mais recentemente, mas já garantiram vagas permanentes nos roteiros turísticos. Mas quando eu falei que iria visitar Albânia, Kosovo

Férias!

10249230_601200359967132_25801454_nEu sempre tento deixar uns posts agendados no blog antes de sair de férias, mas nunca consigo. Já é difícil conciliar o trabalho com o blog normalmente, mas parece que nas semanas antes de sair de férias é ainda pior. A quantidade de trabalho aumenta, a gente tem que deixar as coisas em casa preparadas para nossa ausência, tem que terminar de planejar os últimos detalhes da viagem, arrumar a mala e ficar o tempo todo se perguntando se não está esquecendo nada importante... Ufa! É aquela correria! Quando eu vi, já tinha

A Pousada Uacari

Pousada UacariEu já falei um bocado no post passado sobre a Reserva Mamirauá e sobre a a importância do turismo, realizado através da Pousada Uacari, para a melhoria das condições de vida da população da região. Mas agora você deve estar querendo saber o que é que o turista encontra lá. Bom, luxo é que não é. Se bem que depende do que isso significa para você. Para mim, poder avistar os animais em seu habitat natural, conhecer o estilo de vida dos habitantes da região e acordar e dormir com o barulho da água correndo embaixo

198 Livros: Bielorrússia

198 Livros - BielorrússiaQuando eu li a sinopse de Paranoia, do escritor bielorrusso Victor Martinovich, eu imaginei que se tratava de um livro parecido com o da Lituânia, Vilnius Poker, que não foi uma leitura muito fácil. O título já era sugestivo e o contexto de uma dominação ao estilo soviético era tema comum entre os dois. Hoje a Lituânia vive um novo contexto, mas a Bielorrússia é considerada a última ditadura ainda vigente na Europa. O presidente Alexander Lukashenko está no poder desde 1994 e é alvo de várias acusações referentes a fraudes