198 Livros: Reino Unido

198 Livros - Reino UnidoNão tenho culpa se os quatro países que compõem o Reino Unido resolveram se juntar (e depois não se separar). Tenho certeza de que Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales têm diferenças culturais que justificariam que eu lesse um livro de cada um, mas perante a ONU eles são um só, então aqui no #198livros eles também só tiveram direito a um voto quer dizer, a um livro. Nem cheguei a pesquisar as milhões de opções de livros que eu teria, pois a Carla Portilho já estava encantada com uma escritora inglesa contemporânea

Atacama: quando ir - e escapar das chuvas!

San Pedro de Atacama após a chuvaMinha viagem ao Deserto do Atacama me rendeu uma fama injusta. Só porque meu roteiro foi totalmente prejudicado por chuvas torrenciais as pessoas acham que viajar comigo dá azar. Dizem que eu levo chuva até para os locais mais improváveis, pode uma coisa dessas? Gente, isso é calúnia! Quem é que não sabe que chove no deserto? Para não dizerem que estou esperneando à toa, comprovarei com fatos que o deserto mais seco do mundo não é imune às chuvas como a gente pensa. Quer dizer, como vocês pensam, porque eu já senti na prática

198 Livros: Turcomenistão

198 Livros - TurcomenistãoO Turcomenistão foi sorteado há mais de um ano, mas quando vi esse nome gigante terminado em ão eu já imaginei que seria um dos países difíceis. E eu estava certa. Mais uma vez não encontrei nenhum livro em português e nesse caso nem mesmo em inglês, físico ou virtual. Quando fico perdida assim corro para ver a saída que a Ann Morgan encontrou. O que descobri não foi muito animador: ela tinha lido The Tale of Aypi, do autor turcomeno Ak Welsapar, mas na época o livro ainda estava esperando uma editora para ser publicado em inglês e minhas pesquisas

Eu blogo, tu blogas, nós blogamos

BlogosferaA melhor coisa que o Viaggiando me proporcionou ao longo desses quase oito anos foi a chance de conhecer um monte de gente bacana que de outra forma eu não conheceria. Grande parte dessa turma é formada por outros blogueiros, gente que, como eu, fica do lado de cá do computador escrevendo solitariamente e depois esperando que as pessoas reservem um pouquinho do seu tempo para nos ler. No twitter ou nos grupos do facebook em que a gente conversa, muitos blogueiros reclamam da falta de camaradagem

198 Livros: Belize

198 Livros - Belize

Vou confessar uma coisa: toda vez que sorteio um país da América Central eu fico na dúvida sobre a língua oficial. Meu primeiro chute é sempre o espanhol, mas a verdade é que um monte de país por ali fala inglês. E tem ainda o Haiti falando francês. Isso sem falar nas diversas línguas de origem indígena e africana que sobreviveram na região. É uma mistura e tanto e eu fico pensando que esse caldeirão de línguas diferentes deve representar também uma cultura muito rica, com diferentes influências. Minha ignorância me levou a pensar

Hospedagem nos Balcãs (Bulgária, Macedônia, Albânia e Kosovo)

Eu sei que muita gente odeia pesquisar hotéis, mas eu adoro! É no momento das reservas que eu sinto que a viagem começa a ser delineada. Com as passagens compradas e o roteiro definido, é na escolha dos hotéis que eu vou me aproximando das cidades, pois aí já tenho que estudar o mapa, descobrir onde ficam as atrações, as formas de transporte. Quero sempre ficar onde eu possa andar a pé pra cima e pra baixo, então a localização é essencial. Quando os hotéis são caros não é tão legal, pois aí é difícil encontrar o que eu

198 Livros: Eslovênia

198 Livros - EslovêniaO livro da Eslovênia foi engraçado. Bom, não o livro em si, mas a história toda. Quando eu pesquisei autores eslovenos não encontrei nada que parecesse se encaixar na proposto da #198livros, mas aí a Lu Malheiros disse que tinha recebido uma indicação de um livro de lá: era Southern Scum Go Home, do escritor Goran Vojnović. Eu até brinquei dizendo que dava dó porque ele era muito pequenininho (míseras 47 páginas), mas que se fosse bom não tinha problema. O livro parecia falar sobre a "dificuldade de integração de sérvios

#EncontroBsB: Redescobrindo Brasília

EncontroBsBEu já tinha ido a Brasília duas vezes. A primeira foi em em 2009, quando fui visitar amigas que moram lá, e até rolou post aqui no blog. Em 2013 voltei, dessa vez com o Eduardo. Algumas lacunas foram preenchidas nessa segunda visita: a Catedral estava aberta, subi na Torre de TV, visitei o Lago Paranoá durante o dia, vi o show na Fonte Luminosa à noite. Após essas duas viagens eu já tinha me dado por satisfeita, afinal, já tinha feito o circuito turístico tradicional. Aí apareceu a Camilla Kafino com uns posts no blog

198 Livros: Tajiquistão

198 Livros - Tajiquistão

Comprei o livro do Tajiquistão ainda no inicinho do projeto quando vi que Hurramabad, do escritor Andrei Volos, estava na lista dos 10 preferidos da Ann Morgan em sua volta ao mundo literária. Como o livro não estava disponível no Brasil ou em versão digital, encomendei o meu na Book Depository sem me preocupar com o tempo que ele levaria para chegar. Quando, enfim, o Tajiquistão foi sorteado, ele já estava aqui na minha estante só esperando para ser lido!

Ohrid: é beleza que não acaba mais!

OhridEu nunca tinha ouvido falar de Ohrid até começar a traçar o roteiro da viagem pelos Balcãs, quando já estava com a passagem para a Bulgária comprada. Pesquisando os locais interessantes na região me deparei com uma foto no guia que mostrava uma igrejinha com um lago ao fundo e na hora eu soube que queria ir até lá para ver aquela cena com meus próprios olhos. Logo depois eu joguei o nome da cidade no Google e foi só ver mais umas fotos para me decidir: ela tinha que entrar no roteiro! E que bom que foi assim, porque Ohrid

198 Livros: Vaticano

198 Livros - Vaticano

É engraçado pensar no Vaticano como um país, né? Bom, na verdade ele não é exatamente um país, é uma cidade-Estado, mas, por ser um dos membros da ONU (um estado-observador, assim como a Palestina) ele entrou na lista de leitura do #198livros. Quando chegou a hora de escolher um livro de lá é que a situação se complicou. A intenção desse projeto é ler livros de autores locais que retratem a história ou a cultura de um país, mas como adotar os mesmos critérios dessa vez? O que seria ler um livro de um autor local