Páginas

Turismo Sustentável em Mamirauá

Turismo Sustentável em MamirauáA Reserva Mamirauá fica localizada no estado do Amazonas, a cerca de 600 km de Manaus. Ela abrange uma área de mais de 1 milhão de hectares no curso do Rio Solimões, numa região de várzea ou, traduzindo, num terreno que fica alagado durante o período de cheia. Entre os meses de maio a setembro, a água sobre de 10 a 12 metros, deixando apenas as copas das árvores visíveis. Trata-se da maior área de floresta alagada do mundo! Isso faz com o que o ecossistema de Mamirauá seja especial, afinal, tudo o que vive

198 Livros: Zimbábue

198 Livros - Zimbábue

A literatura africana contemporânea está com tudo! A maioria dos livros africanos que li até agora me surpreenderam positivamente. O período logo após a independência de algumas dezenas de países foi muito rico para a área cultural e agora há uma nova geração que cresceu já no pós-colonialismo e que está fazendo bonito. Um exemplo disso é o projeto Africa39, que selecionou 39 escritores com menos de 40 anos considerados os mais promissores da África subsaariana. Na lista estão Ondjaki, o autor que representou

A minha Amazônia

AmazôniaQuando o avião começou a se aproximar de Manaus e eu vi aquela imensidão de água e verde a perder de vista, uma emoção que eu não esperava sentir tomou conta de mim. Nenhuma foto, nenhuma aula de geografia, nenhum título de maior isso, maior aquilo haviam me preparado para avistar o Rio Amazonas. Ele era muito mais majestoso do que eu poderia imaginar. O único adjetivo que me vem à mente para descrevê-lo é justamente indescritível. Eu só conseguia pensar que todo mundo merece e precisa estar pelo menos uma vez

198 Livros: Iêmen

198 Livros - Iêmen

A literatura é uma ótima ferramenta para nos ajudar a derrubar preconceitos, enxergar diferentes visões de mundo e conhecer culturas que de outro modo nós talvez nunca chegássemos perto. Mas um livro pode também reforçar estereótipos e foi isso o que aconteceu quando li A Land Without Jasmine, do escritor iemenita Wajdi al-Ahdal. Ele me fez pensar que em alguns casos os estereótipos podem ser importantes para reforçar situações que precisam ser divulgadas. Até porque o que é claro para alguns pode ser

I Encontro de Inverno de Blogueiros de Viagem

Encontro de Inverno de Blogueiros de ViagemQuem é leitor de longa data do Viaggiando já está cansado de saber da minha paixão por cidades históricas. E sabe também que a Estrada Real é meu roteiro queridinho no Brasil. Então quando o Antonio Romulo lançou a ideia de um encontro de blogueiros em sua cidade, São João del Rei, eu fui uma das primeiras a colocar meu nome na lista de participantes. Eu queria voltar a São João desde que estive lá pela primeira vez, há quase 10 anos. Voltei a Tiradentes algumas vezes desde então, mas não estiquei a viagem até sua vizinha. Era a chance

198 Livros: Albânia

198 Livros - Albânia

Dessa vez eu nem me dei ao trabalho de pesquisar um livro, pois de todos os lados vinha uma mesma recomendação. A Albânia seria mais um país difícil se não fosse por Ismail Kadaré, o autor albanês que ficou famoso no mundo todo especialmente por causa de seu livro mais famoso: Abril Despedaçado. Provavelmente você já ouviu falar nesse livro por causa do filme homônimo nele inspirado, estrelado por Rodrigo Santoro. Eu não assisti ao filme, o que de certo modo foi bom porque eu  comecei a leitura sem nenhuma

Portugal – Índice de Posts

PortugalNão tem jeito, tudo que é bom uma hora chega ao fim. E assim como não deu para prolongar os 17 dias que passei em Portugal, a série de posts sobre o país também tinha que ser encerrada. E ela rendeu! Foram 31 posts, cada um deles escrito com muito cuidado. Isso porque essa viagem foi realmente especial. Tenho certeza de que quem acompanhou essa história conseguiu perceber meu carinho por esse país que me recebeu tão bem. E enquanto eu não volto para rever alguns lugares queridos e conhecer tantos outros que não couberam

10 Motivos para você incluir Portugal no seu próximo roteiro

Coimbra, PortugalSe com todos os meus inúmeros e demorados posts eu ainda não consegui te convencer a colocar Portugal no roteiro da sua próxima viagem à Europa, acho que já não sei mais o que fazer! Mas não custa nada fazer uma última tentativa, né? Por isso vou elencar alguns motivos que tornam o país tão interessante para os viajantes brasileiros. Você pode até encontrar um ou outro desses motivos em mais alguns países europeus, mas tudo junto só mesmo em Portugal! Tá esperando o quê?

198 Livros: Cuba

198 Livros - Cuba

Essa volta ao mundo dos livros está me gerando sérios problemas Mali e Omã, por exemplo, nem estavam na minha lista de desejos, mas por causa dos livros que li e das pesquisas que fiz, entraram na fila como prioridades. Até pouco tempo, se eu fosse planejar uma viagem à Bulgária, provavelmente faria apenas o roteiro clássico que inclui Sofia e o Monastério de Rila, mas aí inventei de ler Streets without a Name e agora já não posso me contentar em conhecer tão pouco do país. O mesmo aconteceu com Cuba. Se antes eu pensava em passar

Meus cantinhos preferidos em Lisboa

LisboaGuardei para o final um dos lugares de que mais gostei em Lisboa. Não é nenhum cantinho escondido que poucos conhecem, pelo contrário, pois acho que todo turista na cidade passa por lá. Talvez não seja também o lugar mais bonito, nem mesmo o mais interessante, mas sabe quando a gente gosta e pronto? Estivemos lá já nas nossas primeiras horas em Portugal, até porque ele ficava ao lado do nosso hotel. E já que era pertinho, voltamos algumas vezes, em diferentes horários. Talvez essa familiaridade é que tenha colocado

198 Livros: Austrália

198 Livros - Austrália

Cloudstreet, do escritor Tim Winton, é mais um livro grandioso, em vários sentidos. Para começar, ele tem mais de 400 páginas. O romance acompanha duas famílias do interior da Austrália, os Pickles e os Lambs, que por obra do destino acabam dividindo uma casa marcada pelas lembranças do passado numa imaginária rua chamada Cloudstreet, em Perth. A história abrange um período de 20 anos, entre as décadas de 40 e 60, além de algumas referências a fatos ainda mais distantes. Eles viram a guerra passar, tiveram medo do comunismo